terça-feira, 2 de agosto de 2011

Primeiras Impressões: No. 6

Buscando uma obra de arte ao assistir um anime? Sinto desapontá-lo, mas ultimamente essas tais obras primas são raras de se encontrar e, se existem. A atual temporada de animes que está em exibição no Japão não me atraiu em nada. Baixei os três primeiros episódios do tão comentado Blood-C, mas mal comecei a assistir o primeiro episódio, já cansei. A única estréia que realmente despertou minha curiosidade foi No. 6, anime produzido pelo mesmo estúdio de Fullmetal Alchemist, o aclamado estúdio Bones.
No. 6 pode até parecer shounen-ai, mais é um shoujo, o que me basta para super querer assistir. A história é uma ficção científica, que se passa no ano de 2013, na utópica cidade No. 6. Esta cidade possui uma área luxuosa chamada Chronos, onde vive um garoto gênio, Shion. A história realmente começa quando Shion, em seu aniversário de 12 anos, conhece um garoto fugitivo chamado Nezumi (rato), durante um tufão. Ele então decide ajudá-lo, mas seu envolvimento é descoberto e ele é expulso de Chronos, indo morar no distrito de Lost Town, considerado o pior lugar para se morar. Agora, 4 anos depois, está sendo considerado um criminoso e com isso vai descobrindo toda a conspiração que está por trás de No. 6.
O que ficou como primeira impressão: Como gosto muito de ficções científicas, o anime em si é mediano. Estou falando isso apenas me baseando nos 4 primeiros episódios, que foram os que assisti até agora (e os que estão disponíveis, ). A abertura e o encerramento não chamaram minha atenção, mas gostei dos traços e, de uma maneira geral, da forma como a história está sendo contada. Não que esta animação seja considerada o destaque da temporada, longe disso, acho que tem momentos em que tudo para, sabe? Falta algo. Estou assistindo esperando melhorias, pois ainda tem muita coisa para acontecer, muitos episódios a assistir (na verdade apenas 8, mas enfim...). Como comentei no início, nenhum anime que está sendo transmitido atualmente está perto de ser considerado futuramente um clássico, mas como ainda não podemos dar o veredicto final, fica apenas a dica para quem quiser acompanhar esta série, que estou a-man-do, por mais que isso seja considerado um absurdo pelos demais.
Ah, e vale coferir a novel, que está disponível em inglês. Escrita por Atsuko Asano, tem 9 volumes e foi publicada entre 2003 a 2011. Como em outubro completaremos 1 ano, teremos surpresas envolvendo yaoi por aqui durante julho, agosto e setembro, então aguardem!

Nenhum comentário: