sábado, 19 de novembro de 2011

Raio comenta: The Twilight Saga

O que é a saga Crepúsculo para mim? Bem, minha experiência nesse mundo vampiresco criado por Stephenie Meyer começou em 2008, quando chamei minhas amigas para sair. Como íamos ao cinema, fui buscando mais e mais informações, até que um anúncio conquistou minha atenção. Inexplicavelmente, quando vi o trailer fiquei com uma vontade louca de beber café rs. É disso que me recordo. Liguei para a Belle, se não me engano, e marquei com ela e com as outras a nossa ida para o shopping. Lá, como sempre, tive que esperar as benditas, o que me fez perder o comecinho do filme (aquela parte do veadinho correndo)... Poxa, cheguei na sala, o filme já havia começado, e me aparece Robert Pattinson surgindo assim como um modelo da Calvin Klein... Foi paixão, amor e surpresa à primeira vista. Tá que já conhecia o ator dos seus tempos de Harry Potter, mas sabe quando ele incorpora totalmente o personagem que realmente parece outra pessoa? É! O Rob tem essa coisa de me surpreender vez e outra. Edward Cullen havia sido imaginado de uma forma tããão estranha pelas fãs que inicialmente o Rob teve que enfrentar várias queixas pela escolha da tia Cath (diretora), mas muitas dessas fãs do livro tiveram que engolir, pois Robert conseguiu arrancar o melhor do personagem. Não consigo pensar em outro para este papel. Após assistir, ficar apaixonada por "Clair de Lune" e "'Bella's Lullaby", fui correndo para a net baixar o livro. Não aguentei muito tempo, pois em dois dias terminei de lê-lo, então fui novamente para a net, só que dessa vez foi para comprar meus exemplares dos dois livros seguintes: Lua Nova e Eclipse. Em poucos dias os devorei. Ha, não estava satisfeita. Amanhecer chegou no Brasil logo após, e lá estava eu lendo no PC, já que meu dinheiro se esvaiu e tive que economizar para mais e mais coisas. Até hoje não o tenho, mas ei de ter... haha!
Quando digo e repito que esta maravilhosa história mudou minha vida é verdade. Pô, minha vida na blogosfera surgiu com blogs dedicados à saga (fiz até parte da super equipe do fã-site JRBR), sabiam? Talvez esse blog não existisse se eu não tivesse, naquela tarde, migrado para a minúscula sala do cinema.
Os filmes da saga foram evoluindo de uma forma incrível. Twilight com certeza teve o ar mais 'sombrio' se compararmos com com os outros filmes. A fotografia do primeiro filme tem aquele ar de "azul esverdeado" que deixa você um pouco tonto. Tá, sei que a diretora quis passar a ideia do clima, da chuva o ano todo, do musgo, mas foi uma coisa tão exagerada que não se pode pensar em uma cena do filme sem lembrar da pele do Edward azul. Estou mentindo?
New Moon teve uma fotografia bem mais "sadia". Chris Weitz passou pela pressão de substituir Catherine, e aos poucos, com a liberação de stills, foi mostrando que em New Moon a tensão da separação de Bella e Edward seria retratada da melhor forma possível. Um dos pontos marcantes do filme foi o momento em que Bella está no quarto, sentada em frente a janela, sofrendo pela separação, enquanto os meses passam (assim como no livro). A escolha de 'Possibility' (música interpretada por Lykee Lee) para esta cena, foi tão boa que a mesma estava na lista para uma nomeação do Oscar na categoria 'Melhor Canção Original'. Não foi indicada, mas estava na lista! Ah, e outra coisa que amei em New Moon foi a ideia de fazer o Rob aparecer bem mais do que deveria. Como boa parte do livro fala da amizade que vai crescendo entre Jacob e Bella no período em que Edward desaparece, era de se esperar que Rob ficasse um pouco de lado nas gravações, mas não foi o que aconteceu. Edward apareceu em muitas cenas, sem falar na incrível cena de luta...
O tão aguardado, e porque não polêmico, Eclipse, também rendeu aos fãs bons momentos. Tudo começou com a escolha do danadinho do David Slade. O carequinha, responsável por Meninamá.com havia deletado seu twitter logo após ser contratado para dirigir o filme. Porquê seria? Ele havia, no microblog, escrito algumas coisas ofensivas à saga Twilight. Como cuspir no prato em que se come é feio, o menino deletou sua conta, mas como tudo podemos encontrar por aí, ainda restou um áudio onde David fala coisas como "prefiro levar um tiro" ao se referir à saga. Com essa os fãs passaram a ficar com um pé atrás, mas as menores dúvidas foram sanadas na estréia, quando um belíssimo e estonteante filme nos fez (me fez) chorar. Ha, eis aqui minha declaração de amor para ele (feita após a sessão). Uma coisa que não gostei no filme foi a bendita peruca da Kristen. Como ela havia terminado as gravações de The Runaways, no qual interpreta Joan Jett, e estava com o cabelinho bem curto, precisou usar uma bela (?) de uma peruca. O negócio tava tão evidente, que algumas cenas tiveram que ser regravadas. Pontos fracos do filme? David soube fazer o filme ficar com os melhores e importantes momentos, e me fez gritar na sala feito louca, então está de parabéns. Tá, pera, Eclipse não foi um mar de rosas assim. Foi neste filme que a linda Rachelle Lefevre foi substituída pela sem sal Bryce Dallas. A peruca da Dallas mais a fazia parecer o fofão, pô!
E por fim (?) e não menos importante: Breaking Dawn. Melissa Rosenberg, a roteirista, conseguiu adaptar de forma magistral algumas cenas impactantes em algo um pouco mais leve, para assim dar a censura de 14 anos. O filme, dividido em duas partes, começou com o recebimento dos convites do casamento, pesadelo de Bella, cerimônia, festinha, discursos variados, dança de Jacob e Bella, enfim... Resumir o filme não é para qualquer um, mas tentarei em um parágrafo. Melissa, que sempre foi a roteirista da saga, me surpreendeu um pouco. Tá, nada demais comparado com a atuação e os efeitos incríveis. Taylor conseguiu me comover de uma forma que me fez ver o grande ator que ele é. Ele é o verdadeiro homem Apiguana! Já quanto aos efeitos, gostaria de elogiar aquele que fez Kristen ficar horrenda. Fiquei de boca aberta quando aquela Bella esquelética, deitada morta na cama, começava a se transformar na Bella vampira e magnífica. Não consegui parar de comentar com minhas amigas o efeito mega Loreal, quando os cabelos dela começaram a clarear... Fora a maquiagem, que com certeza foi muito usada neste momento.
Comecei a sempre ir nas estréias a partir de New Moon e o que posso admitir é que só vai quem é fã mesmo. Se você consegue aguentar mais um pouco a ansiedade, aguente. 

Ficarei sem postar até dezembro, quando minhas provas terminarem. Aguardem!

Nenhum comentário: