quarta-feira, 28 de março de 2012

Twiggy - The face of 1966

Se me perguntassem qual minha época favorita no quesito moda, logicamente escolheria os anos 50 e 60. Tudo isso se deve aos ícones da época, como Audrey Hepburn, a 'bonequinha de luxo' que abrilhantou os anos 50, e Twiggy, 'o rosto dos anos 66'. Lógico que nesse período também reinaram outras inesquecíveis 'imagens', como Bardot e Monroe, mas Hepburn e Twiggy conquistaram minha preferência. Bem, como já falei muito da 'galerinha' dos anos 50 em um seminário que fiz ano passado, decidi salpicar algumas coisas sobre os anos 60, resumindo-o em um só nome: Twiggy.
Para os que não conseguem enxergar o que a modelo significou para o mundo da moda, explicarei rapidinho: bom, como já citei, dois dos principais ícones da moda nos anos 50 foram Marilyn Monroe e Brigitte Bardot. Se formos analisar essas duas, podemos constatar que o padrão de beleza da época era totalmente diferente dos dias atuais, pelo menos para a moda. Tanto Bardot como Monroe eram símbolos sexuais, com suas curvas avantajadas e 'ar de mulher'. Já em contraste com esse padrão de beleza, nos anos 60, mais precisamente em 1966, surge no cenário da moda a inglesinha Twiggy, uma modelo de 16 anos, exageradamente magra, com traços angelicais e olhos marcados por muito rímel e cílios postiços. É ela que define o padrão de magreza que está inVoga nos dias de hoje.
Tudo começou quando uma amiga da jovem Lesley Hornby (seu verdadeiro nome), que trabalhava em uma revista de moda, começou a insistir que ela tinha talento. Ela não acreditava que pudesse conseguir algum trabalho como modelo, por causa dos padrões 'voluptos' da época (como citei acima), mas resolveu dar uma chance ao destino. Assim essa amiga a indicou a outra amiga, e essa acabou a enviando para Leonard. E foi pelas mãos de Leonard, um renomado cabeleireiro da época, que seu cabelo foi cortado e descolorido. Em seguida a mesma pegou um ônibus rumo ao estúdio do fotógrafo Barry Lategan e fez seu primeiro ensaio fotográfico, para assim checar se 'tinha talento'. As fotos da novata acabaram nas mãos da editora do jornal inglês Daily Express. Em 26 de fevereiro, ela estampava a primeira página do jornal, sob o título de Face of '66.
É nesse momento que a menina magra de olhos enormes, face emblemática, cabelos curtos e traços angelicais transforma-se em ícone fashion. E para descrever esse momento de ascenção, achei um trecho do livro 'Moda - O Século dos Estilistas' numa matéria no site da Elle: "Twiggy, cujo nome significa 'graveto', foi a primeira modelo a se tornar um ídolo de massa. Para qualquer lado que fosse, multidões a cercavam, como acontecia com os Beatles".
Numa de suas mais recentes entrevistas Twiggy assume, em resposta às críticas que sofreu 'por não comer', que "tinha um apetite de cavalo" e que sua magreza era natural. Pra mim, o que mais chamava atenção era o conjunto, não apenas a magreza. Foi esse conjunto que a fez subir e virar a primeira super modelo, abrindo assim várias portas para outras garotas. Apesar de sua curta carreira como modelo, ela representou uma mudança gigantesca para a época. Segundo fontes, a mesma também é considerada como um dos principais nomes da "revolução das minissaias", que foram criadas por Mary Quant. Como sua história vai muito além do que posso colocar aqui, o que posso dizer para complementar uma lacuna que vem até os dias de hoje é que ela parou de 'modelar' em 1970 e começou a gravar discos e filmes. Para mostrar um pouco desse fenômeno 'Twiggy' separei um vídeo feito por um fã, que mostra trechos de vídeos e fotos de sua época como modelo. Ah, e tudo isso ao som da fofa Cyndi Lauper.
A seguir minhas fotos favoritas...

Beijos!

Nenhum comentário: