sexta-feira, 6 de julho de 2012

The Amazing Spider-Man

Depois de sair da faculdade correndo, de passar o dia lá comendo pão com patê e suco de maracujá, e assistindo aos mini-cursos da Semana de História, fui pra casa me arrumar, ou ao menos tentar tirar alguns resquícios da minha tarde, e de lá fui direto pro shopping, para assistir a pré-estréia de The Amazing Spider-Man com mais dois iludidos. Bem, eu já tinha uma ideia do que esperar da adaptação, mas mesmo assim me surpreendi um 'bocado', tanto pela interpretação do casal principal, quanto pelos erros 'de lógica' vistos em algumas cenas. Bem, comentários gerais à seguir:
Criado em 1962 por Stan Lee (Jack Kirby e Steve Ditko também participaram do processo de criação), na que eu gosto de chamar de "última leva de heróis", Spider-Man, ou Homem-Aranha, é daqueles heróis humanizados, que além de ter poderes, também tem dúvidas e problemas, como qualquer outro humano comum, sendo que o único diferencial é possuir "mais força do que os outros", se assim posso dizer. É daí que vem a frase "com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades", que não foi mencionada de forma alguma nesse filme, ao contrário da outra franquia, mas foi aplicada. Tio Ben não precisou dizê-la para que Peter, no decorrer da história, compreendesse.
Depois do fracasso do último filme da primeira franquia (sim, aquela estrelada por Tobey Maguire), a Columbia Pictures e a Marvel resolveram começar do zero (como se costuma fazer nos filmes do Batman, da DC) e o papel de 'herói aranha' foi dado à Andrew Garfield, que inicialmente foi motivo de bafáfá e descrença. Mas, assim que algumas imagens do mesmo começaram a sair na rede, os ânimos gerais foram  apaziguados. Andrew é realmente uma gracinha, e seu desempenho no filme ultrapassou o que eu esperava. O mesmo é um grande fã de Spider-Man, segundo ele um leitor assíduo desde pequeno, e isso o ajudou a entrar melhor no personagem.
Por outro lado temos a linda Emma Stone, com cabelos loiros, ao contrário de seu ruivo natural, dando vida à Gwen Stacy, a loira que até hoje é considerada a grande paixão de Peter Parker. Segundo a atriz, ainda quando o roteiro não estava pronto, ela fez testes para o papel de Mary Jane. Ela teve, assim como Andrew, uma atuação que conseguiu alavancar o filme, e a química entre os dois realmente foi ótima, tanto que os dois atualmente estão namorando. Sobre o relacionamento de Gwen e Peter, senti falta daquele lance de "sou tímido, te amo, e te olho à distância", que foi tão característico da outra franquia, e que eu adorava. Tá, ocorreram mudanças, mas eu realmente senti falta de um beijo marcante, assim como foi aquele da chuva em que Kirsten e Tobey dão aquele que é um dos beijos mais lindos da história do cinema. Já na nova franquia Peter é um beijoqueiro maníaco. Não estou nem aí se esse é o mais fiel aos HQ's, quero saber é da magia por trás dos relacionamentos dos heróis. Mas Raio, você tem que buscar a fidelidade com a obra! Fidelidade? Pelo que eu sei a Gwen morre antes de descobrir a verdadeira identidade do nosso caro fotógrafo. Encare isso, mundo cruel!
Spider-Man (2002)
Como em todo filme de herói temos que ter um vilão, e The Amazing Spider-Man não foi diferente. Dessa vez o eleito para o cargo de antagonista foi o já conhecido Lagarto, que nesse filme me deu cada susto que vou te contar. Bem, no quesito efeitos o filme não pecou, mais ainda trouxe aquela leva de vilões que não são tão vilões assim, sabe? Tá que o Lagarto apronta todas, participando dos melhores momentos de ação do filme, mas ele afinal é só um cara que quer ter seu braço de volta e perde a cabeça (enlouquece), mas no final dá um jeito de se converter. Sinto falta de um vilão que queira lhe ver realmente morto, como o Coringa, um psicopata que brinca com você e lhe fere, realmente lhe tirando seus amigos, como ele fez com o segundo Robin. Onde estão os vilões que poderiam realmente render um bom duelo sangrento? aiai
Decifra-me, ou devoro-te!
Momentos bons? A bunda do Andrew Garfield colada no uniforme. Momentos tristes? Enterro do pai da Gwen e Tio Ben no chão. Momento gritinho? Quando Gwen está trancada no armário e o Lagarto dá um susto nela (e nos espectadores). Outra coisa? Vale muito a pena assistir essa nova adaptação de Spider-Man. O homem aracnídeo está muito bem representado e pelo jeito vai ter um segundo filme e uma participação em Os Vingadores (viram Andrew lendo uma HQ de Os Vingadores e já estão especulando, não é culpa minha). Cena que curti e achei cômica? Stan Lee como bibliotecário escutando música enquanto o herói e o vilão destroem a biblioteca da escola. É engraçado, mas ele sempre aparece nos filmes baseados em suas HQ's... Vi um vídeo recentemente e, tipo, nunca notei ele. :( Ah, ia esquecendo, a Sony já  declarou que esse será o primeiro filme de uma nova trilogia. Preparados?

Enfim: corram para o cinema vocês também!

Nenhum comentário: