sábado, 21 de julho de 2012

Uta no Prince-sama

Desapareci? Desculpem-me. Estou ocupada lendo, e logicamente arrumando os últimos preparativos para a volta de No.6 para este blog (yeah!). Como faz um tempo que não posto, fiquei refletindo no que seria interessante comentar para vocês, mas a fonte secou, e não consegui pensar em nada de primeira. Na falta de assunto, comecei a pensar nos animes dos quais gostei e que ainda não comentei por aqui. Taaantos... E dentro desses tantos, passeando pelo tumblr, decidi falar sobre um dos meus amores, um anime cativante tanto pelas músicas, quanto por seus bishounens super estilosos. Sim, estou falando de Uta no Prince-sama ~ Maji Love 1000%, ou simplesmente Uta-Puri.
Uta no Prince-sama, como uma típica história do gênero harém ao reverso/bishounen, tem como foco central uma garota tímida, meiga, esforçada e altruísta, ou seja, uma garota que possua todas as características com as quais a maioria das garotas se identificam. Essa garota, por algum mistério ou força oculta, sempre entra em situações nas quais tem que lidar com um dos bishounens da trama (moços lindos que eu gosto de definir como 'quase andrógenos'). Cada um dos rapazes, por sua vez, representa um esteriótipo que costuma agradar as garotas, em sua maioria: tem o esquecido, o super feliz, o "I'm sexy and I know it", o cara legal, o tsundere... Enfim, reúnem esses personagens, e colocam uma garota, que pode representar qualquer garota. É, a história funciona mais ou menos assim, com todos os caras a querendo, mas ao mesmo tempo tendo relacionamentos conturbados entre eles próprios, relacionamentos esses vistos por olhos de uma fujoshi de outra forma...
Se o que falei soou como um resumo de um jogo de relacionamentos para meninas, é porque realmente o é. O anime de Uta no Prince-sama é baseado em um jogo de relacionamentos de mesmo nome, lançado pela Broccoli em 2010 para PSP. Baixei o jogo, mas não tive sucesso na hora de conseguir emular, então não posso comentar sobre ele, mas como após seu lançamento surgiu uma versão mangá, posso presumir que foi um sucesso.
A história é a seguinte: Nanami Haruka, uma garota que mora com sua avó no interior, após se apaixonar por música decide então entrar em uma academia especializada em formar ídolos, para assim realizar seu sonho de se tornar uma compositora. Como já era de se esperar, com o decorrer dos episódios ela terá contato com jovens lindos, ricos e desimpedidos. Na academia cada aspirante a ídolo terá que fazer parceria com um aspirante a compositor, o que coloca Haruka em maus lençóis, já que os seis jovens que a cercam querem fazer parceria com ela, e ela, por regras da academia, não pode namorar nenhum deles. E é assim que a história segue seu rumo.
Uma das coisas que mais me encantam em Uta-Puri são as músicas que os garotos cantam no decorrer da trama. Sério, são muito bem interpretadas, e grudam na cabeça, mas nenhuma delas supera a música de encerramento, que é tão chiclete que você pode passar o dia todo cantando (eu?), e além disso vem acompanhada de uma coreografia pra lá de exagerada (e legal)! Os personagens, a primeira vista, aparentam possuírem uma certa ausência de profundidade, ou seja, são planos. Porém, ao decorrer da história podemos perceber que cada um possui um passado conturbado, e isso nos ajuda a tentar compreender mais eles, mas não deixa uma abertura para vermos mais "características humanas", se assim posso dizer. O anime funciona como um jogo, onde todos os caras em volta da garota tendem a se mostrar perfeitos, e isso acaba estragando a amplitude de cada um. Mas, fazer o que, já que o que anime propõe é basicamente o que ele cumpre: um harém e uma garota sem sal como protagonista!
O ruim de tudo isso é que Haruka nunca se decidirá a ficar com alguém, e os garotos continuarão dizendo em bom tom "eu amo... a sua música", o que me faz querer correr para um shoujo cute cute qualquer. Uta no Prince-sama é um anime divertido de se assistir, e um prato cheio para qualquer fã de yaoi. Para quem ainda não sabe, já anunciaram que o anime terá 2ª temporada, pena que ainda não mencionaram a data. Enquanto isso indico a leitura do mangá, que é a mesma história, para assim acalentar vossos corações.

Bye, bye!

3 comentários:

Felipe disse...

eu gosto de animes harém (com mulheres é claro): Ranma 1/2, Tenchi Muyo, To love-ru, etc...
Ultimamente estou assistindo Sekirei, você poderia conhecer e escrever o que achou.

Raio disse...

Já assisti alguns animes harém, como Clannad, Ranma 1/2, Tenchi Muyo, como você comentou, mas ainda não comentei sobre eles por aqui. Quem sabe em outra ocasião. Mas, dentro desse gênero já comentei sobre Seikon no Qwaser, um ecchi bem simpático, e harém! Dá uma olhada: http://blogdaraio.blogspot.com/2012/01/seikon-no-qwaser.html

Bjus! ^^

zayla disse...

Comecei a assistir esse anime, e fiquei babando pelos garotos, que além de lindos deixam um encanto todo yaoi. Mas aquela protagonista é do tipo que literalmente me dá nojo, simplesmente odeio!!!!