sábado, 29 de setembro de 2012

A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça

Em 1820 foi publicado pela primeira vez o conto The Legend of Sleepy Hollow, em português A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, escrito pelo americano Washington Irving, conto esse integrante da coleção The Sketch Book, assinada por Irving sob o pseudônimo de Geffrey Crayon. Baseada no folclore germânico e trazida por imigrantes alemães à América, a história gira em torno de um professor desajeitado chamado Ichabod Crane, que leva a vida ensinando as crianças de Sleepy Hollow (ou Vale Adormecido), e ganhando para isso alguns trocados, já que naquela região o conhecimento é muito desvalorizado. O professor vive como um nômade no povoado, sempre vivendo por uns tempos na casa dos fazendeiros da região, e saindo delas antes de virar um incômodo ao anfitrião. Logo o velho Crane se encanta pela jovem e bela filha de Baltus Van Tassel, Katrina Van Tassel, que também é a garota dos olhos de Brom Bones, o valentão da região.
O conto começa com a descrição do povoado, fundado por holandeses, que cresceu cercado de crenças e superstições, como história de índios e feiticeiras, mas a que mais vinga é a de um cavaleiro que teve sua cabeça decepada por uma bala de canhão durante uma batalha sem nome da Guerra de Independência. O cavaleiro, segundo alguns, teve seu corpo enterrado no cemitério da igreja de Sleepy Hollow, e toda noite sai em direção ao local da batalha para procurar sua cabeça desaparecida. Aqui um trechinho:

Todavia, o espírito dominante que assombra esta encantada região e parece comandar todos os poderes da atmosfera é a aparição de uma figura sem cabeça montada num cavalo. Dizem alguns que é o fantasma de um soldado da cavalaria de Hesse cuja cabeça foi arrancada por uma bala de canhão, numa batalha sem nome da Guerra da Independência, e que é visto pelos camponeses, de quando em quando, correndo a toda a brida por entre as sombras da noite, como se o levassem as asas do vento. As suas aparições não se limitam ao vale, estendendo‑se por vezes aos caminhos adjacentes e especialmente às imediações de uma igreja não muito distante.

A história, pelo que podemos ver apenas com essa curta sinopse, é bem diferente das adaptações (sim, foram mais de uma) cinematográficas para a história. Nelas Ichabod é tratado como um herói que, apesar de ter medo, resolve o mistério e termina casado com a mocinha. No conto de Irving, Crane desaparece misteriosamente e o mistério do cavaleiro acaba não sendo solucionado, nos fazendo imaginar que na verdade era Brom disfarçado, já que ele teria motivos suficientes para tal. A história, que possui momentos de humor, é um terror típico americano. Se aqui temos a mula-sem-cabeça, lá eles possuem um cavaleiro dark sem cabeça montado em um rápido e negro corcel. The Legend of Sleepy Hollow é um dos primeiros exemplos de uma típica ficção americana.
Foram criadas, logicamente, várias adaptações do conto, mas comentarei aqui apenas as duas que conheço, uma em animação e outra com direção do pequeno Tim Burton. Vejamos...
Bem fiel à obra de Irving, a animação de 1949 produzida pela Walt Disney traz Brom como sendo mesmo o fantasma do cavaleiro, algo que é deixado como uma interrogação na obra. O filme, tanto aqui quanto em Portugal é conhecido como As Aventuras de Ichabod e o Sr. Sapo, que tem como um de seus segmentos a história de Ichabod Crane. A seguir um trecho do filme, onde podemos ver a chegada do professor no povoado (nota: o filme completo também se encontra no youtube, porém com áudio em inglês).
A segunda adaptação, e mais conhecida, é de 1999, cujo título original é Sleepy Hollow, que ficou conhecido no Brasil como A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, filme esse estrelado por Johnny Depp e Christina Ricci, e com roteiro e direção de Tim Burton. O filme foi baseado no conto, mas apenas levemente. Muitos críticos também acreditam que sua cena de perseguição foi baseada na animação da Disney, mas podemos perceber de longe muitos aspectos criados pela cabecinha criativa de Tim Burton.
Bom, o primeiro contraste que notamos é o protagonista. Na obra, Crane é descrito como uma pessoa alta, magra e desengonçada, mas no filme de 1999 é interpretado por Johnny Depp que... Bem... Não é tão desengonçado assim:
Ops, foto errada...
O Ichabod de Burton é um perito que vai para Sleepy Hollow procurar pistas para solucionar o mistério de mortes onde os corpos foram encontrados sem cabeça. Brom é seu rival, mas não chega nem perto de conquistar a doce (e feiticeira) Katrina. Também foi incorporado à história o passado tenebroso de Ichabod, que (na versão) viu sua mãe morta perfurada em uma Dama de Ferro. Tim Burton transformou essa história de terror em uma versão gótica e inédita. No filme há um vilão além do sobrenatural, e uma conspiração maior do que no conto de Irving. A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, por esses e outros aspectos irrelevantes por hora, é um dos meus filmes preferidos, que me faz rir toda vez que assisto, mesmo sabendo de cada fala e momento.

Gostaram? Querem ver outra obra comentada aqui? Qual? Comentem!

Um comentário:

Anônimo disse...

Alguma alma caridosa possui esse conto em pdf e em português? Só encontro ele em inglês. Por favor, enviem pra mim no camilabarros90@gmail.com. Pleaseeee.