sexta-feira, 8 de março de 2013

Eu Não Quero Voltar Sozinho

Tinha planos de não aparecer por aqui até o fim do mês, mas não resisti, já que me veio à cabeça a ideia de que tenho que compartilhar isso com vocês! Um amigo acabou de me mostrar um curta-metragem, que de início parece abordar apenas o cotidiano de três jovens. Bem, o legal desse curta, sem pieguices, é que ele trata de uma forma muito comum e fofa o que a sociedade olha de uma forma tão torta: o amor homossexual. Ok, eu sei que essa opinião não é geral, mas temos que ser realistas e admitir que não é todo mundo que consegue aceitar ou lidar de forma natural com alguém próximo que se assuma gay.
Não Quero Voltar Sozinho é um curta de 2010, com roteiro e direção de Daniel Ribeiro, e que conta a história de Leonardo, ou Leo, um garoto com deficiência visual que, com a entrada de um novo estudante em sua turma, descobre que é gay. Filmado em São Paulo, o curta já ganhou diversos prêmios e, como anunciado no finzinho de 2012, será adaptado para um longa. O filme Todas as Coisas Mais Simples já está em fase de filmagens, e tem lançamento previsto para 2014.
Ao assistir Eu Não Quero Voltar Sozinho, consegui entender um pouco a intenção do diretor/roteirista, que é a de mostrar que o amor entre homens (ou entre mulheres) é uma forma de amor como qualquer outra, sem mistérios. O que deixa o curta ainda mais interessante é o fato de ter como protagonista um garoto cego. Sim, porque se formos parar para pensar, a maioria dos relacionamentos começa quando alguém olha e acha a outra pessoa interessante. No caso de Leo, que é cego, o "gostar" vai além de uma atração física, e é esse fator que diferencia esse curta de outras produções do gênero.
O filme (longa), que está sendo rodado esse ano, pode ser encarado como uma grande conquista, já que desde o princípio essa era a intenção, mas devido a falta de patrocínio o diretor teve que abdicar de um longa e fazer um curta.
Como nem tudo são flores... O curta, que fazia parte do programa Cine Educação - uma parceria que visa, através da utilização de filmes, levar o debate sobre direitos humanos para a sala de aula -, foi censurado no Acre, por ter sido confundido com o "kit anti-homofobia". Segundo nota do próprio estúdio (ver aqui), o material foi vetado devido pressões feitas por líderes religiosos sobre políticos da região. Claro e óbvio que achei isso um absurdo, já que o debate em sala de aula é algo de extrema importância para a formação de um cidadão livre de preconceitos. Conversar sobre a diversidade cultural, racial e sexual dentro das paredes da escola ajudaria os jovens a conhecer aquilo que pode lhes parecer estranho. Conhecer esse desconhecido, debater sobre a realidade do outro, e aprender a respeitar aquilo que não lhe é delegado, seria um grande passo para uma juventude livre e pensante. A seguir, o curta na íntegra:

Me pergunto onde está essa tal laicidade de Estado... Sim, porque ver a igreja até hoje interferir dessa maneira na educação e na política, só me faz pensar que estamos regredindo no tempo.


A vida é muito curta para se viver na escuridão.

4 comentários:

Miyaneo disse...

Nyah, já faz uns bons tempos que eu vi esse curta e eu surtei muito quando eu vi notícias sobre a produção do longa. Ele, diferentemente do curta está com vários patrocíniios garantidos e a expectativa é grande. Como eu disse numa postagem do blyme sobre isso, e a minha amiga também, "pode fazer um longa de três horas que eu vou ver e rever!!" *-* XD

Adorei o post, espero que mais e mais pessoas possam a ver esse curta, que aliás, abre portas, é lindo, fofo, simpático no entendimento e fica com um longo gosto de quero mais. Kissus!

carol disse...

O longa vai ser perfeito :3 muito legal você divulgar aqui no blog o curta e as notícias :]. Sinceramente, é um ótimo curta com uma abordagem linda e sutil sobre o homossexualismo, muito bem feita, poderia passar horas escrevendo sobre a beleza da obra, mas basta dizer- no caso, escrever- que é uma obra linda e sutil :3

Felipe Gomes disse...

Oi Raio ^^

Cara, eu amei esse curta, porque ele mostra o amor de duas pessoas independente do sexo, tem aquele ditado o amor é cego, quem diria que é duplo sentido, com certeza merece um longa e estou animadíssimo para assistir. Eu sou gay e é desse tipo de amor que gosto, o amor sincero, sem ligar para aparências, ele mostra a história de uma forma doce e natural. 10

Flw Raio ^^

Raio disse...

'Flw', querido. rs