terça-feira, 26 de março de 2013

Mangás e HQs - O retorno de Death Note e novidades

De uns tempos pra cá comecei a perceber uma certa "retomada" de antigos projetos por parte das editoras brasileiras, e isso me incomodou. Credo, Raiomara, você deveria levantar as mãos para o céu! Eu?
Bem, estou achando louvável essa nova fase "pós-Greco" que a JBC está vivendo. Sim, digo isso do fundo do meu coração! A Edição Especial de Card Captor Sakura, o relançamento de Rurouni Kenshin com o título original e, principalmente, a nova edição de Death Note, a Black Edition. Poxa, quem diria que a editora sairia de uma fase tensa, onde todo produto por ela lançado era criticado por algum erro como falta de páginas, tradução feita da edição em inglês ou, como era bastante comum, uma adaptação chula 'abrasileirada' de algum termo japonês. Atualmente a editora está vivendo uma ótima fase e isso aparentemente deve-se ao editor Cassius Medauar, que assumiu o posto que era de Greco e propôs dar um jeito naquela bagunça.
Bem, não estou me contrapondo ao relançamento, pois é uma proposta para os fãs fiéis dessas obras (como eu) e também para os novos leitores de mangás que agora terão a oportunidade de acompanhar esses clássicos, mas isso pode colocar em xeque outro ponto: a nova leva de títulos japoneses seria tão fraca a ponto de não conseguir nem competir com títulos já vistos e revistos? Esse retorno de obras já publicadas atrapalharia o licenciamento de boas obras até então inéditas? As editoras não estão querendo trocar o certo pelo duvidoso.
Esse certo (aquele que sem dúvidas trará algum retorno) está querendo ser alcançado, e para isso a JBC está investindo pesado em material shounen. Não, a repetição não ocorre apenas no quesito título. As editoras, por já dominarem e terem conhecimento da existência de um certo público consumidor, não estão querendo arriscar a vinda de alguns gêneros como o shoujo e o yaoi, por exemplo. A Panini até que vai um pouco contra essa política, lançando vários títulos importantes do universo shoujo mangá como Kimi ni Todoke (em perfeita qualidade), Maid-sama! e Vampire Knight, mas ela é apenas uma exceção (a NewPOP está tão desaparecida que não entrou na pesquisa). Em 2012 o Brasil, se compararmos com os anos anteriores, evoluiu muito em termos de publicação de mangás, tanto na quantidade quanto na qualidade, mas ainda está deixando muito a desejar.
Sobre as novidades: 2013 estará recheado de lançamentos! Segue a lista:

  • Death Note - Black Edition; Editora JBC; Sem previsão de lançamento.
  • Love Hina (republicação); Editora JBC; Sem previsão de lançamento.
  • Highschool of the Dead - Edição Full Color; Panini; Previsão: maio / junho.
  • Toriko; Panini; Lançamento: Abril.
Deu pra perceber o que vem por aí, né? Apesar disso muitos títulos estão entrando em seus arcos finais lá no Japão, como Maid-sama!, um importante título da revista LaLa que aqui no Brasil é publicado pela Panini. Outro título que nos deixa é Vampire Knight, também da Panini. Enquanto isso, para delírio da galera, Ai Yazawa (mangaká de Nana), ao que tudo indica, está voltando a suas atividades normais: a autora desde fevereiro voltou a dar sinais de vida e na atual edição da revista Cookie teremos mais um capítulo de Junto no Bushitsu, ou Cantinho da Junko, como é conhecido aqui no Brasil.
QUERO MUITO QUE NANA VOLTE!
Enfim, 2013 promete muito na área da republicação, mas as novidades estão aparecendo aos poucos. Sim, queria que trouxessem algum yaoi, mas como meu santo não é tão forte para tal (e também porque no Brasil o mercado desse material ainda é pequeno) fico no aguardo de obras mágicas como KKWH, Dengeki Daisy, Aoharaido e No. 6!


Afinal, não custa nada sonhar.

4 comentários:

Lucas Loureiro disse...

Oi querida Raio-san.

Venho através deste comentário para contá-la um drama que ocorre com blogueiros de meia idade como eu. O terror das baixas visualizações acarretando em desespero e desesperança de uma vida melhor e saudável por parte do autor... É um estado clínico em que vi muitos caírem e nunca mais se levantarem - brincadeira. Mas falando mais seriamente eu me identifico com suas postagens e gosto de visitar seu blog, aproveito aqui para lhe recomendar um vídeo parecido com Não quero voltar sozinho em como toca no assunto, e confesso que assisti algumas vezes, se chama "13 minutos ou perto disso". Além disto, venho lhe pedir uma parceria com seu blog para um raio - você - de esperança atinja meu blog que está tão escuro... Você pode olhar lá, tem coisas interessantes escritas e nem faço questão de ser tão "fodão", mas diminuiu muito desde o início e realmente me esforço para sempre atualizá-lo e deixar meus leitores felizes, mas não dá para viver assim... Se puder dê uma lida na minha nova fanfic chamada Feras, espero que goste. Comentando, agora, sobre a sua postagem, eu não vou poder comprar mais meus mangás por que não tenho dinheiro sobrando e para um otaku , você deve saber a dor que estou sofrendo certo? Mas adoraria comprar Death Note de novo. Apesar de preferir FMA. Rs.

Obrigado pela atenção e aqui está meu blog: depoimentosateofim.blogspot.com

Lucas Loureiro disse...

OBS: Agora eu vi que já tínhamos uma parceria... Desculpa pelo mico. Mas enfim, considere um desabafo, mas o convite de ler a fanfic está de pé. Você vai gostar!

Bjs

Raio disse...

Ri muito aqui. haha
Enfim, estou sem tempo até para atualizar este blog, visualizar facebook... Mas se sobrar algum minuto vou lá checar seu blog sim, caro senhor!

kairasensui disse...

Olá Raio-San! Gostei muito do seu post na questão da analise quanto ao fato das editoras estarem trabalhando na linha do "seguro". Infelizmente o mercado de mangá brasileiro está bem aquecido porém cheio de relançamentos e eu posso dizer que sou contra por ser um colecionador de longa data (desde Mai a garota sensitiva até os mangás que estão na banca). Tenho a impressão agora que os mangás nas edições editadas no padrão de qualidade antigo serão totalmente comparado para pior com os atuais em melhor papel e impressão, porém, o valor sentimental daquelas edições menores em papel jornal que amarela se não bem cuidado são parte de uma trajetória de mais de 10 anos, portanto, espero que estas não sejam desvalorizadas com esse "vampirismo" comercial de uma oportunidade que poderia ser ocupada por mais novos mangás, pois ainda existem muitos bons titulos não publicados aqui. Um abraço!