quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Kamisama Hajimemashita

Imagine a mistura de alguns elementos de Inu x Boku SS, Black Bird e InuYasha. Imaginou? Pois é, Kamisama Hajimemashita, ou Kamisama Kiss, é quase isso... Quase...
Após assistir os treze episódios turbulentos do anime, resolvi respirar fundo e escrever sobre minhas impressões. Vale lembrar que acompanhei cada episódio logo na estreia, mas como o tempo tava corrido, somente agora resolvi parar um pouco, respirar e escrever. Não sei se acertarei nos comentários, mas tenho certeza que os mesmos serão de grande ajuda para alguém que busca uma dica sobre qual série assistir, ou até um pontapé básico para um indeciso. E, sim, este post conterá SPOILERS. Lembrando: a segunda temporada da animação acabou de ser confirmada!
Primeiro contato: Li o mangá antes do começo da temporada e, sem mais delongas, é muito mais legal. Não quero alimentar grandes expectativas com relação ao mangá, mas realmente me senti entretida ao ler cada página dos seus mais de sessenta capítulos (sendo que ainda está em andamento). A história vai crescendo, e o que poderia ser considerado clichê vai tomando uma nova forma. A história é, no final das contas, uma comédia com romance e sobrenatural, ou seja, tudo o que eu queria. Certo que existem um ou dois arcos que não agradarão a todos, mas esses servem de trampolim para seus sucessores; dando um impulso à nova trama. É uma delícia!
Mangá vs. Anime: Que o anime tem um ritmo acelerado se o compararmos com o mangá, já sabemos, mas, no caso de Kamisama Hajimemashita, esse ritmo ultrapassa o limite do padrão. O primeiro episódio do anime, por exemplo, segue os três primeiros capítulos do mangá, e para isso ser possível eles cortaram, ou até mudaram a ordem de algumas cenas. Certo, isso vez ou outra acontece, mas esse corte nas cenas prejudicou o desenrolar da história. Fez tudo ficar muito apressado.
Com o segundo capítulo foi feito o mesmo, mas de uma forma diferente: ao invés de cortar cenas, resolveram inverter a ordem dos arcos. Sei que devia evitar me basear no mangá e me voltar totalmente para o anime, mas não consigo. A história vai seguindo o mangá, mas como a animação possui um número limitado de episódios, os cortes foram inevitáveis, e as mudanças que se seguiram deram um ritmo mais acelerado, negligenciando alguns pontos interessantes.
O engraçado dessa temporada, já devo ter comentado por aqui, foi o fato que, nos primeiros episódios dos três shoujos da season, os protagonistas já terem se beijado. Como sempre assisto animes shoujo, estou acostumada com séries à la Kimi ni Todoke (ou seja, sem beijos e nem apertos de mão), e um começo de temporada desses foi uma surpresa. O beijo em Kamisama Hajimemashita parece um tanto precoce, mas justificável: o beijo sela um pacto entre Nanami, uma divindade, e Tomoe, um demônio que agora é o seu servo.
O anime não teve um grande destaque na temporada devido aos dois shoujos que a acompanhavam, tendo esses, na minha opinião, uma história bem mais caprichada e uma animação de maior qualidade, e ambas resenhadas por mim aqui no blog (Tonari no Kaibutsu-kunSuki-tte li na yo). Kamisama Hajimemashita vai muito pro lado da comédia, enquanto os outros dois trataram de problemas sérios, como o bullying.
A história: Nanami Momozono é uma estudante que vivia tranquilamente com seu pai até o dia que o mesmo fugiu e a deixou morando na rua, já que a casa onde eles viviam foi tomada pelos credores. A garota, que agora estava literalmente na rua da amargura, "salva" um homem misterioso que, como forma de agradecimento, lhe dá uma casa e um beijo na testa. Mal sabia ela que aquele homem havia, ao beijá-la, transferido um sinal de divindade. E assim começa a história, com Nanami vivendo em um templo e passando a ter uma nova vida, agora como Divindade da Terra.
Como um shoujo que se preze, não pode deixar de ter um bishounen que balançará o coração da mocinha. O papel ficou a cabo do demônio Tomoe, que, apesar de no começo detestar Nanami, passa a simpatizar com a jovem, tornando-se o seu cão de guarda. Tomoe tem um passando desconhecido, revelado em partes no decorrer da história. O personagem é, sem dúvidas, o destaque da série, e um dos motivos que levam as garotas a assistirem, pois, sendo bem sincera, a protagonista é bem sem sal.
Além de possuir uma abertura e um encerramento bem sem graça, a história é bem batida, daquelas que já sabemos como irá terminar. Por esses e outros fatores a série foi colocada de lado por várias pessoas, sendo acompanhada apenas por quem tem apreço pelo gênero. Tá, é uma série fofa e um bom entretenimento, mas se você está procurando novidade, aconselho a passar bem longe.
Sobre o ponto da segunda temporada: em detrimento do aniversário de 40 anos da revista shoujo Hana to Yume (casa dos clássicos Fruits Basket e Skip Beat!), revista essa que está publicando o mangá de Kamisama Hajimemashita, este sendo um sucesso na revista. Uma segunda temporada não é pra qualquer um, então me espantei com a notícia. Esperava outro título, não nego, mas se essa foi a decisão dos japoneses, o que posso fazer, não é?


Shoujo é shoujo, e será bem vindo!

Um comentário:

Miyaneo disse...

Quero ver a segunda temporada logo! Eu não li o mangá, e me baseei nisso pra fazer um post falando sobre o animê no blog. Eu achei tão bom! Mas TODAS as pessoas disseram que é muito mais do que parece ser ou o desenvolver no mangá. Ficou corrido até pra quem não leu, imagina então pra quem leu e sabe dos acontecimentos "oficiais" da trama. Apesar disso eu ri muito, e me emocionei bastante. Recomendo ver principalmente pela segunda temporada HDSAKHDAKJDAHSKDJA e mano, você viu o OVA?? O FINAL DESSE ANIME ASDFGHJKLÇ COMO QUE ACABA ASSIM QUERO CONTINUAÇÃO ah pera vai ter *solta fogos de artifício* XD
Beijos!