quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Enciclopédia de animais - Detalhes sobre alguns animais do filme "Animais Fantásticos e Onde Habitam"

Olá a todos e bem vindos ao meu blog. Este post é direcionado ao primeiro filme da saga Animais Fantásticos, então se você não gosta muito do universo mágico criado por J. K. Rowling, aconselho buscar meus outros posts (os mais recentes tratam sobre dramas coreanos e PC games, enquanto os mais antigos trazem indicações de mangás e animes japoneses). O conteúdo desse espaço anda bem diversificado ultimamente, principalmente devido às mudanças na minha rotina, mas mesmo com as mudanças espero que o novo conteúdo continue agrandando.

Imagem: @raiomara (instagram)

J.K. Rowling, criadora do universo Harry Potter, sempre foi além dos livros, prova disso é o material inédito que vez ou outra é publicado no site Pottermore. Particularmente, não se esperaria menos. Além dos sete livros sobre a história do bruxinho Harry, a autora escreveu três pequenos livros: Animais Fantáticos e Onde Habitam, Quadribol Através dos Séculos e Os Contos de Beedle, O Bardo, ambos textbooks, ou seja, livros didáticos pertencentes aos alunos de Hogwarts (no caso, foram publicados para parecerem livros que existem dentro da história).
Animais Fantásticos e Onde Habitam é um tipo de enciclopédia. O livro, publicado em 2001 e escrito pelo magizoologista Newt Scamander, traz várias informações sobre a definição do que seria considerado um "animal" no mundo mágico, além de descrições detalhadas sobre os animais catalogados pelo autor em seus anos de viagens e pesquisas. Ele é mencionado pela primeira vez no livro Harry Potter e a Pedra Filosofal, pois é um dos livros obrigatórios para os alunos de Hogwarts.
Quadribol Através dos Séculos é um livro escrito por Kennilworthy Whisp (outro pseudônimo da J. K.) que trata sobre a origem do quadribol, desde o momento que ele "sem querer" foi inventado, até o momento que ele se tornou um esporte, com regras. É um livro repleto de descrições e com alguns desenhos que mostram a mudança no tamanho dos aros do jogo, e até mesmo uma explicação detalhada sobre cada uma das bolas. Ele foi mencionado pela primeira vez também no primeiro livro da saga, na parte em que Hermione conta que antes das aulas de voo na vassoura ela leu esse livro buscando dicas de como voar.
Talvez o mais famoso dos três livros seja Os Contos de Beedle, O Bardo, pelo mesmo ter aparecido no último livro de Harry Potter e por nele conter O Conto dos Três Irmãos. O livro contém, além do conto anteriormente mencionado, alguns contos infantis do mundo bruxo. A seguir um vídeo do "O Conto dos Três Irmãos", retirado do filme "Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte I", para quem quiser recordar.


Obviamente, como o próprio título me entrega, falarei aqui sobre algumas criaturas que nos são apresentadas no primeiro filme da saga "Animais Fantásticos". Agora que sabemos que serão lançados cinco filmes dessa saga, não temos como prever quais animais listados no livro aparecerão na telona, mas podemos tentar saber mais sobre os animais que aparecem no primeiro filme do spin-off. No livro entendemos que os animais que Newt Scamander estudou foram encontrados em várias partes do mundo, mas no livro, além de terem sido estudados, muitos deles vivem dentro de uma maleta pertencente a Newt. No caso, a maleta dele, assim como a bolsinha de contas da Hermione, foi enfeitiçada com o feitiço indetectável de extensão, que na prática amplifica o interior de determinados objetos sem afetar o exterior, ou seja, por fora é uma maleta comum, mas dentro dessa bagagem existe um outro "mundo" onde os animais vivem e são protegidos.
Segundo o filme, os animais mágicos são mal interpretados, principalmente por bruxos, e Newt, como pesquisador e amante desses bichos, busca em seu livro fazer com que os bruxos aprendam a lidar com esses animais. Conhecendo esses animais, o bruxo pode entende-los melhor, saber como se proteger em caso de alta periculosidade (dragões, por exemplo) e aprender a como esses animais podem ser úteis.

Pelúcio (Niffler):
Classificado como um animal que um "bruxo competente pode enfrentar". O pequeno e esperto Pelúcio foi um dos destaques do filme, e todas as suas  cenas envolviam alívio cômico. Visualmente ganhou um aspecto quase que semelhante a um ornitorrinco. Fofo, preto, é um animal que é capaz de se afeiçoar, mas mesmo assim não é indicada a criação de pelúcios em casa.
Esse animal faz tocas subterrâneas e tem afeição por tudo o que brilha, principalmente por joias. Os duendes possuem criação de pelúcios com a intenção de fazê-los cavar extensas trilhas na terra em busca de tesouros (típico de duendes).

Erumpente (Erumpent):
Classificado como um animal "perigoso", ou seja, "que apenas um bruxo perito pode enfrentar". É um animal muito parecido com um rinoceronte. De origem africana, tem o couro cinzento e resistente (capaz de repelir feitiços, inclusive), e um chifre afiado na ponta do nariz.
Normalmente não ataca se não for provocado, mas quando ele investe contra alguém os resultados podem ser catastróficos. Seu chifre pode perfurar qualquer tipo de material e, além disso, contém um fluido que ao ser injetado em um determinado objeto é capaz de fazê-lo explodir.

Seminviso (Demiguise):
Classificado como um animal "perigoso", ou seja, "que apenas um bruxo perito pode enfrentar". É um animal que pode ser encontrado no extremo oriente, ou seja, em países como China, Japão, Coreia do Sul, Coreia do Norte, dentre outros. Existem muitos nas regiões já mencionadas, mas o seu poder de invisibilidade os deixa quase impossíveis de serem encontrados. O seu corpo é muito peludo, e seus fios são muito valorizados no mercado, tendo em vista que os mesmos podem ser utilizados na confecção de capas da invisibilidade.

Tronquilho (Bowtruckle):
Classificado como um animal "inofensivo" e que "pode ser domesticado". Os tronquilhos são descritos no livro como uma espécie de protetores da floresta. O tronquilho, como o próprio nome revela, visualmente lembra um tronco ou um galho, o que faz com que ele seja muito difícil de ser encontrado, seja por conta da camuflagem ou seja por seu tamanho, que na média seria de, no máximo, vinte centímetros. O tronquilho é uma criatura aparentemente amigável, mas quando tem seu habitat ameaçado é capaz de ser bem feroz. Podem ser encontrados na Inglaterra, Alemanha ou na Escandinávia.

Gira-gira (Billywig):
Classificado como um animal que um "bruxo competente pode enfrentar". É um inseto de cor azul-safira, muito veloz, nativo da Austrália. Ao contrário dos insetos comuns, suas asas saem de sua cabeça e ficam girando, em movimentos que lembram os de um helicóptero (por isso o nome "gira-gira"). Na extremidade oposta de seu corpo existe um ferrão, característica que lembra muito a abelhas. Sua picada tem como efeito colateral a levitação, ou seja, o bruxo ou trouxa que for picado por esse inseto começará a levitar, reação essa que pode durar dias. Muitos bruxos australianos buscam capturar esses insetos na tentativa de serem picados e assim flutuar.

Fiuum (Fwooper):
Classificado como um animal que um "bruxo competente pode enfrentar". É uma ave de origem africana que tem como principal característica as suas penas coloridas (podem ser laranja, rosa, verde clara ou amarela), Suas penas são utilizadas na fabricação de canetas de luxo, e além disso essas aves poem ovos coloridos (no caso, não sei se os ovos são valorizados no mercado ou são de venda proibida). Aparentemente dóceis, essas aves possuem um canto muito bonito, porém se for muito escutado pode levar o ouvinte à loucura. Uma vez um bruxo chamado Úrico, o Excêntrico, tentou provar que o canto do fiuuum não tinha esse efeito e escutou o mesmo durante três meses ininterruptos. Infelizmente ele não conseguiu o seu objetivo, pois chegou na reunião do Conselho de Bruxos pelado e com um texugo morto sobre a cabeça.
Para evitar mais problemas envolvendo a loucura dos apreciadores desse animal ele é vendido com um Feitiço Silenciador.

Oraqui-oralá (Diricrawl)
Esse animal fantástico foi diretamente inspirado em um animal já extinto chamado "dodô". Proveniente da ilha Maurício, uma ilha próxima a ilha de Madagascar, no sul da África. A
incapaz de voar, a ave sempre foi presa fácil para os humanos que passavam pela ilha, e com isso a matança foi exagerada. No mundo de J. K. Rowling, a ave, assim que ameaçada, desaparecia em suas penas e aparecia em outro local, o que levou os humanos a crerem que o animal foi extinto. A comunidade bruxa, vendo que o fato dos trouxas acreditarem na extinção do animal despertou uma preocupação com a extinção de outras espécies no planeta, decidiu proteger a informação e não divulgar para os trouxas que os animais ainda estão vivos.
É uma pena que a extinção desses animais realmente aconteceu e que se deve principalmente à caça predatória. No caso, além da matança, vários foram exportados para a Europa e, devido às péssimas condições de transporte, muitos chegavam mortos no destino.

Claro que ainda faltaram muitos animais a serem comentados, mas ao escrever notei que o texto estava ficando longo demais. A "parte II" sairá em breve (ou não, dependendo da minha disposição) e poderá abranger animais do universo de Animais Fantásticos como também animais que só apareceram até agora nos livros/filmes de Harry Potter.

Até a próxima semana!

Um comentário:

Ernesto Coutinho disse...

Eu fiquei encantado em como todos são bonitos e com tanta criatividade que a J.K Rowling teve ao criar esse mundo tão repleto de detalhes minimalistas. Eu acho que os filmes como esse sempre serão para todos, por que em cada um nos vemos uma mensagem muito importante que às vezes esquecemos pela rotina. Animais Fantásticos e Onde Habitam é um filme para pequenos que tem uma historia maravilhosa. Você irá gargalhar e os personagens são adoráveis.