quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Noragami - Impressões sobre as duas temporadas

Olá, meus amores. Bem, venho nesse humilde post falar um pouco sobre um anime que foi destaque nas temporadas passadas. Como estamos buscando retomar o ritmo que este blog já teve há anos atrás, hoje resolvi fazer aquilo que mais gosto de fazer por aqui: analisar animes. A animação que escolhi dessa vez foi um shounen que até o momento possui duas temporadas (2014 e 2015). Noragami me foi apresentada há um bom tempo, mas apenas agora resolvi assisti-la devidamente. O texto a seguir vai sair mais como um incentivo de minha parte, pois quero muito que outras pessoas "degustem" essa história.
Noragami, em suma, trata sobre um deus "menor" chamado Yato. Bem, Yato seria uma espécie de deus falido, pois não tem fiéis e nem mesmo um templo para orações. Sua rotina diária consiste em espalhar pichações em paredes e até mesmo em banheiros públicos para que alguém contrate seus serviços de deus. Ele, nesse caso, se torna um deus "faz tudo", enfrentando tarefas que vão desde encontrar animais desaparecidos até consertar a encanação de banheiros.
A história de fato começa quando Hiyori Iki, uma colegial, salva Yato de um acidente. Este acontecimento acaba resultando na transformação de Hiyori em uma espécie de "meio-fantasma", ou seja, a alma da garota passa a sair de seu corpo constantemente e, com isso, ela passa a ver diversos seres que antes eram invisíveis aos seus olhos, como outros espíritos. A garota, que a princípio se assusta com sua condição, no decorrer da série passa a se envolver cada vez mais com Yato e com o shinki de Yato, Yukine.
Noragami traz uma sinopse bem estranha, por isso me senti forçada a engolir algumas coisas nos primeiros episódios, mas depois os próprios personagens e o relacionamento entre os mesmos me fizeram querer assistir tudo de uma só vez. Isso é uma novidade para mim que, se não me apaixono de uma vez, deixo o anime de lado e procuro outra coisa melhor para fazer.
Dos três personagens principais, Yato é de longe o mais carismático. Ele é um personagem com manias e repleto de características não tão positivas, e é isso que nos aproxima cada vez mais de sua personalidade e nos faz torcer para o seu sucesso. Yukine, o garoto loiro de 14 anos, que acaba se tornando o espírito protetor de Yato (ou shinki), inicialmente age como um menino mimado. Amei o desenvolvimento desse personagem, pois não foi idealizado, como geralmente acontece. O garoto, desde o princípio, agiu como um "garoto problema", querendo viver como um menino de sua idade e invejando aqueles que conseguem. Yukine (nome que foi dado por Yato) passa por diversas provações, peca e, por consequência, é punido, sendo perdoado e conseguindo finalmente se aceitar.
Hiyori, por outro lado, é uma personagem que a princípio não estava envolvida com nenhum ser sobrenatural, mas que, por ironia do destino, acaba se tornando um "híbrido", ou seja, acaba adquirindo a habilidade de seu espírito sair de seu corpo. A princípio se envolve com Yato e com Yukine para que eles consigam consertar seu corpo, mas posteriormente acaba se apegando aos dois, criando vínculos de amizade.
A história dos três monta o enredo da primeira temporada, cabendo à segunda os "arcos" dos outros personagens. As duas temporadas, apesar de tocarem no passado de Yato, não chegam a explicar devidamente a relação entre Yato, Nora (outro shinki de Yato) e Kouto Fujisaki, o que me faz pensar numa possível terceira temporada. Tendo como base o sucesso das duas temporadas, creio que uma terceira está aguardando apenas o desenrolar do mangá.

Logo acima mencionei o termo "shinki" várias vezes, sem de fato explicar o que seria. Shinki seria um "ajudante" de um deus, ou melhor, são "tesouros sagrados" que os deuses utilizam para desempenharem diversas tarefas. Cada deus pode ter vários shinki, porém um shinki deve servir a apenas um deus. Ao se tornar shinki, o deus nomeia esse espírito que o servirá, sendo que esse nome fica cravado no corpo do espírito. Entretanto alguns shinki servem a inúmeros deuses, tendo, em consequência, vários nomes. Esses shinki com diversos nomes são chamados de Nora.
O shinki, ou regalia, é criado a partir de um espírito "errante", ou seja, um espírito que ainda vaga sobre a terra. Esse espírito, inicialmente puro, pode ser corrompido se for possuído por fantasmas. Como o shinki tem uma ligação direta com o seu deus, se o shinki for corrompido, isso poderá resultar até na morte do deus.
Sobre o anime, creio que a segunda metade a primeira temporada se perdeu em uma história fraca. Rabou, antagonista, com a ajuda de Nora, rouba as memórias de Hiyori e quer, a qualquer custo, que Yato volte a ser o deus da calamidade que costumava ser. Se levarmos em consideração a inexistência de Rabou nos mangás, podemos dizer que esse arco foi um "enchimento de linguiça".
Quanto à segunda temporada, amei o arco da Bishamon (os seis primeiros episódios), mas devo admitir que os sete últimos me fizeram ficar meio entediada. Não gostei da introdução do personagem Ebisu e, para mim, eles deveriam ter aproveitado o surgimento do Fujisaki, e não ter simplesmente deixado um mistério no ar no último episódio.
A animação como um todo (quesitos técnicos) merece meus sinceros aplausos, principalmente pelas cenas de luta, que foram muito bem feitas. A personagem Bishamon, mesmo tendo um certo fan service, foi muito bem construída, nos fazendo vê-la como uma personagem mais forte que um homem, porém sem deixar de lado a sua feminilidade. Amei essa personagem por conta disso. Hiyori também segue esse mesmo esquema, pois salva constantemente os demais personagens, apesar de não ter poder nenhum (meu modo feminista foi ativado).
Em suma, Noragami, apesar de ser um anime/mangá shounen, tem em seu conteúdo uma ode à força feminina. As mulheres da série são de fato fortes e admiráveis, o que se deve ao fato da história ser escrita por duas mulheres. Não estou dizendo que um mangaká homem não possa fazer personagens femininos "não passivos", mas creio que as mulheres têm mais sensibilidade para a criação de bons personagens femininos. Em todo caso...

Tomara que o mangá seja logo publicado por aqui.

ATUALIZAÇÃO: A Panini anunciou que NORAGAMI foi um dos títulos licenciados pela editora e que em breve será lançado no Brasil!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

TOP - Os personagens masculinos mais sexies [anime e mangá]

Desde que fundei este espaço, até os dias atuais, o que mais me rendeu visualizações foram os top's de personagens. O top beijos até hoje é o mais disparado em views, e por conta disso parei um pouco de fazer essas listinhas. Acho que não queria tornar esse blog algo tão voltado para top's, e sim um espaço que tivesse textos mais problematizadores.
Porém, como é da farofa que o povo gosta, resolvi fazer um top 10 dos personagens mais calientes de animes e mangás. É uma lista pessoal, então se não concordarem sintam-se livres para isso. Então, vamos começar!

10 - George (Johji) Koizumi - Paradise Kiss
O menino George... O que falar desse personagem metido a bad boy, né? George, apesar do estilo um tanto quanto arrogante, se destaca por ser um "cara" sensível. Sua forma de amar chega a ser mal compreendida na série, mas o seu charme e a sua boa lábia fazem com que torçamos para que Yukari consiga terminar sua complicada história de amor com ele.

09 - Saitou Yakumo - Shinrei Tantei Yakumo
Shinrei Tantei Yakumo é um shoujo que tem seus altos e baixos. A história é até legalzinha, mas a adaptação animada poderia ter sido melhor (ainda juntando dinheiro para comprar o mangá). Um dos pontos que nos prendem à série é, com absoluta certeza, o protagonista. Yakumo é um estudante que faz uns bicos como detetive por possuir um olho que consegue ver espíritos. Seu jeito sério, misterioso e, lá no fundo, amável e sexy, o colocaram nessa lista.

08 - Sebastian Michaelis - Black Butler (Kuroshitsuji)
Claro que não poderia fazer um top sobre personagens sexies sem mencionar o Sebby. De todos ele é o que de fato é mau, já que é um demônio, mas nem por isso é o mais odiado. Suas habilidades e a sua forma de servir o seu amo mexem com o fetiche de qualquer um que assista, principalmente com o fetiche das fujoshis. Nem devo mencionar o fan service...

07 - Takumi Usui - Kaichou wa Maid-Sama!
Usui é o protagonista de um shoujo, mas nem por isso vive um romance estilo "Kimi ni Todoke". É o único loiro dessa lista (não gosto de loiros), mas é um dos personagens mais interessantes. Ele é do tipo que consegue aquilo que quer após batalhar muito, e isso não seria diferente no amor. Devo ressaltar também as suas versões chibi, que são uma gracinha.

06 - Ren Jinguji - Uta no Prince-sama
O Ren, assim como o Usui, é um personagem um tanto quanto atirado, mas ao contrário do outro, não consegue nada com a protagonista. No caso, o fato de Ren estar num harém ao inverso dificulta muito uma possível história de amor com sua amada, mas mesmo assim ele é perseverante. O personagem tem cabelo longo e suas cenas são repletas de fan service... Devo falar mais?

05 - Sesshomaru - Inuyasha
Meio-irmão de Inuyasha, Sesshmaru entrou em nossa lista por ser, ao contrário do protagonista, muito sexy. Não que Inuyasha não seja sexy, mas o acho tão fofo por conta das orelhinhas que nem o levo tão a sério como macho alfa. Sesshomaru, apesar de aos poucos abrir seu coração para a Rin, mantém sua indelicadeza até o último episódio/capítulo, o que o torna um dos personagens mais amados do anime (todas amam um bad boy).

04 - Kyo Usui - Black Bird
Kyo é um tengu que se torna líder de seu clã para poder ficar com a sua amada. A sinopse de Black Bird pode até soar romântica, mas não é bem assim. Além de um alívio cômico adulto, a história traz um romance bem maduro entre os personagens, o que marca um diferencial entre Black Bird e outras histórias do gênero.

03 - Kaname Kuran - Vampire Knight
Botando a cara no sol.
Não, não sou Kanamete. Já adianto que sou Team Zero, mas não posso negar que o Kaname é bem mais interessante que o meu amado hunter. Kaname vem de uma linhagem de vampiros sangue-puro, então tem toda uma pinta de realeza, além do charme e elegância que faltam aos homens de hoje em dia. Enfim, foi uma das minhas paixões da adolescência e sempre será uma inspiração. 

02 - Takano Masamune - Sekaiichi Hatsukoi
O único dessa lista que faz parte de um anime/mangá yaoi. Takano ama o Onodera e Onodera ama o Takano... Quer amor mais simples que esse? Claro que não poderia ser tão simples assim, mas é isso que dá um charme todo especial ao amor dos dois. Takano é o seme da relação (o ativo) e por isso tem um jeito todo "homão", além de usar óculos, que é o meu atual fascínio.

01 - KyoutaTsubaki - Kyou, Koi wo Hajimemasu
Enfim, o número um de minha lista. Bem, não foi difícil escolher o primeiro colocado desse top por motivos óbvios: não há personagem que desbanque o Kyouta. Ele começa a história sendo um belo vigarista, ou bad boy, como queiram, mas acabou mudando de atitude aos poucos por conta da meiguice do seu interesse amoroso. Enfim, ele é um protagonista de uma história de Kanan Minami, então para quem conhece a fama da mangaká, já dá pra esperar um menino bem atirado.

Fiz essa lista de uma forma bem rápida, mas procurei listar os personagens mais "hot" que lembrei. Não significa que esses são os meus personagens favoritos, pois levo em consideração outros fatores para isso. Esses são apenas os personagens que considero mais charmosos. E é isso...

Até breve.

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Estilo: Reira Serizawa [NANA - Trapnest]

Reira (ou Layla) Serizawa é uma personagem do anime/mangá Nana, da autoria de Ai Yazawa. A história, para quem ainda não assistiu, foca em duas personagens que possuem o mesmo nome, porém personalidades totalmente opostas. Reira não é a protagonista da história, mas aos poucos é inserida na trama, ganhando muita importância, principalmente nos volumes finais do mangá.
A vocalista da banda Trapnest está entre as mais famosas personagens criadas por Ai Yazawa, e, por essas e outras razões, resolvi falar um pouco do seu estilo.
Nana é um mangá que reflete a paixão da mangaká pelo estilo punk, sendo que é por esse motivo que vários dos personagens são inspirados nos músicos punk dos anos 1970 (o principal exemplo é o do baixista Ren, que é igual ao Sid Vicious, da banda Sex Pistols). Reira foge de tudo isso, sempre vestindo roupas românticas, que trazem muito florido, cores claras, plumas e acessórios delicados.
Para realçar a feminilidade da personagem, o cabelo de Reira está sempre solto, cacheado e aparenta ser rosa pastel. No anime, principalmente, chegamos a pensar que seu cabelo de fato seria rosa, apesar de às vezes estar mais para castanho claro (enfim, resta a dúvida).
Na imagem acima busquei analisar cada peça, fazendo um breve "roube o look". Nessa imagem promocional, a personagem está com um vestido longo florido, uma bota cano alto da cor roxa e um cardigan florido da mesma cor da bota. Optei por não colocar o cardigan na imagem por achá-lo dispensável ao look.

1. Vestido longo florido (Triagem Jeans).
2. Bota cano alto de camurça (aleatória).

Quanto à maquiagem, a mesma consiste em uma sombra rosa (que pode ser alcançada com a ajuda de um blush não tão escuro), batom e esmalte, ambos também de cor rosa. Como acessórios podemos destacar pulseiras delicadas e brincos de pérola. O resto é adaptar, pois devo ressaltar que boa parte das roupas que a personagem usa são as que também são usadas em shows ou em imagens promocionais. No dia-a-dia, a mesma geralmente usa blusas mais leves com babados (algo que lembra uma camisola), lenços, chapéu, calça jeans e sandálias de salto.
Realmente sou apaixonada pelo estilo da Reira, e principalmente pelo contraste que o mesmo faz com o visual de Shin, seu parceiro na trama (sim, eu shippo). Enfim, espero que o post tenha cumprido o seu objetivo de ser leve, interessante e útil.


Até!