quarta-feira, 27 de julho de 2011

Sekai-ichi Hatsukoi

Passei hoje para deixar esta review, para assim traquilizar o coração das fujoshi frequetadoras deste blog. Faz um tempinho que não comento patacuias de nada sobre yaoi, o que faz do mundo um lugar pior do que já é (sou exagerada, não ligue). O anime escolhido para esta análise é o tão aclamado Sekai Ichi Hatsukoi, meu primeiro yaoi (o primeiro de vários), e que me marcou bastante, com seus casais mega fofos e com aquele toque de comédia que somente a senhorita Shungiku Nakamura consegue nos proporcionar.
A tradução do título explica muita coisa: O melhor primeiro amor do mundo - O caso de Ritsu Onodera (Sekai-ichi Hatsukoi – Onodera Ritsu no Baai). A introdução do anime é com um OVA, que conta a história antes da história (bem, é quase isso): Ritsu Onodera, um garoto que vive na biblioteca lendo livros, certa vez conhece Saga Masamune, um garoto quieto e sério, pelo qual se apaixona de cara. Como foi meu primeiro yaoi, que só assisti pela super indicação de uma amiga, achei as primeiras cenas super estranhas. Me questionava o porque de ele estar olhando para aquele cara e ficar corado... Quase desisti de assistir o 1ª episódio, mas 5 minutos foram o bastante para me acostumar e começar a assistir como se fosse um shoujo. O OVA é todo com cenas românticas, mostrando a reciprocidade que Masamune demosntrou pelos sentimentos de Onodera. O OVA (para de repetir a mesma palavra trocentas vezes, Raiomara) só dá uma mostra da série como ela é no final, mostrando que o anime é uma comédia, e das boas. Ah, e ia esquecendo: ESTE POST TRATARÁ DE UM ANIME COM CONTEÚDO HOMOSSEXUAL, SE NÃO CURTE, NÃO LEIA E... SEI LÁ... ME SEGUE NO TWITTER: @raiomara! o/
Passado aquele clima de romance, do nada, vemos Onodera, 10 depois, trabalhando em um departamento Shoujo Mangá e sendo tratado, como posso dizer... de um modo diferente por Saga Masamune, que agora se chama Masamune Takano (devido à separação dos pais), que é o editor-chefe do departamento. O local onde eles estão trabalhando é uma editora, Marukawa, que após a ida de Takano (Masamune) conseguiu se restabelecer. Onodera foi parar na editora pois queria sair da editora de seu pai e trilhar seu próprio caminho. Ele tentou ir para o departamento de Literatura, mas o colocaram no de Shoujo Mangá, e lá se deparou com Takano, sem reconhecê-lo (esqueceu o rosto de seu primeiro amor?). A relação dos dois não começa com o pé direito e, depois que Onodera descobre quem Takano é e os dois colocam os pingos nos 'is', pode se dizer que piora. Anos atrás, quando eles ainda estavam namorando (?), Onodera mal interpretou um ato bobo de Masamune e sumiu, abalado por achar que estava sendo usado. Ficou tão abalado que decidiu nunca mais se apaixonar. Masamune nunca compreendeu o motivo de Onodera sumir e nunca o conseguiu esquecer. Achei um pouco clichê, mas a maneira como a autora conta a história nos faz nem ligar e achar tudo bem original. Ah, e depois de beijos  forçados e esclarecimentos, Takano promete que fará Onodera se apaixonar novamente por ele. Moe!
Não sei se comentei aqui sobre a relação Seme e Uke, mas fiz o possível para esclarecer alguma coisa em um post sobre yaoi (clique aqui). Para definir a relação dos dois, podemos dizer que o Takano é um seme apaixonado, porém com a máscara de tirano, e Onodera é um uke 'irritadinho' que não admite os sentimentos que tem pelo primeiro. Para compreender esse lance, é bem fácil: Seme é o ativo e Uke, passivo. Simples, não?
Com o passar dos episódios o anime aparenta uma guerra de quem resiste mais, Onodera sempre vencendo. No meio de tudo, ainda temos um 'amigo' de Takano, que sempre alerta nosso queridinho protagonista a ficar longe de seu amado. Isso deixa mais e mais confusa a cabecinha de Onodera, fazendo-o negar ainda mais o amor que sente por Takano. #épico O que me faz amar este anime é o 'parentesco' que o mesmo tem com Junjou Romantica, que conheci depois de assistir Sekai-ichi. São da mesma autora, acho que isso ajuda a ficar parecido, né? rs Além de Onodera e Takano, o anime ainda traz mais dois casais muito moe: Chiaki & Tori e Kisa & Yukina. Os três casais são tão fofos, mais tão fofos que fica até difícil escolher um favorito, mas quando vejo o Chiaki e o Tori acho tão lindo os dois juntos que decidi denominá-los meus favoritos. Comentarei um pouco sobre os outros dois casais, começando pelo segundo:
Yoshino Chiaki e Yoshiyuki Hatori (Tori), conhecidos como 'segundo casal', começam como amigos de infância. Chiaki é mangaká da editora, conhecido como Yoshikawa Chiharu. Hatori é o responsável por ele, sendo seu editor, sempre puxando seu pé. Tori virou editor apenas para ficar ao lado de Chiaki, pois desde a infância era apaixonado por ele. Certa noite, enquanto Chiaki dormia, Tori o beija. Isso provoca uma confusão na cabeça de Chiaki, que percebe que o ama depois que Tori se confessa no festival de fogos de artifício. A partir daí começa uma série de crises de ciúmes, provocadas principalmente por Yuu Yanase, assistente de Chiaki. Será lançado em setembro um DVD, que virá com a edição limitada do 6º volume do mangá, que trará um episódio extra envolvendo este casal. Aguardando! Agora, sobre o terceiro casal:
Este é o terceiro casal que, infelizmente, não teve muitos episódios como os outros dois. Shota Kisa é um editor da Marukawa que, ao ir a uma livraria, se depara e se encanta por Yukina Kou, um lindo jovem que trabalha lá. Kisa é bastante confundido com um estudante, por aparentar ser mais jovem do que realmente é: 30 anos. Ele nem quer realmente um relacionamento, apenas frequenta a livraria para ficar admirando Kou. O relacionamento dos dois começa quando Kou descobre que Kisa foi o responsável por todos os seus mangás favoritos, o que o chama a atenção. Kisa não aceita o relacionamento de cara, por nunca ter estado em um, mas aos poucos vai aceitando... É muito lindo.

Espero que vocês tenham gostado desta análise. Amei fazer! Bjus :* 

Atualizado: A nova edição da revista Ciel anuncia na sua capa que foi aprovada a produção da segunda temporada de Sekai Ichi Hatsukoi na tv. (via Anime Blade) gritandoaqui

terça-feira, 26 de julho de 2011

Ganhei meu primeiro mangá de Black Bird

Sonho meu, sonho meu, lá lá lá lá lá... É com esta música mal interpretada por mim que começo mais este post do Blog da Raio. Crianças, ontem consegui o meu primeiro mangá de Black Bird (dã, vocês nem leram o título, né?)! Depois de várias tentativas fracassadas (o show da Dul e HP7 acabaram com minha economias, que estava juntando justamente pra comprar este mangá), eis que meu pai teve pena de mim e cooperou com minha felicidade, lógico, contra a vontade de mamãe. Algum dia farei um post SOMENTE falando da minha mãe, que pode ser considerada uma figura: ela me manda explorar meu pai pedindo muitas coisas, mas no final fica com raiva de mim por comprar um 'papel de jornal que fica amarelo'. Compramos até um CD com 170 sucessos da Torcida do Ceará, só pra vocês verem o que é eu e o pai no centro. Quando cheguei na loja fui direto perguntar sobre Kimi ni Todoke, mas o 1ª volume tinha acabado, ela estava esperando chegar, só tendo o . Quando começo uma coleção, gosto de começar pelo 1ª volume, então deixei de lado e pedi Black Bird, que eu sabia que sempre tinha (ela tem muitos BB, pois várias garotas atacam a loja à procura) e... aiai *-*
Selo kawaii nele!
Deu pra notar uma diferença entre a Panini e a JBC que, pra mim, foi um pouco gritante. Não sei se é só coisa da minha cabeça, mas de todos os mangás que peguei da JBC, vi que eles colocam os significados (e se botam) no canto da página, o que não acontece com a Panini (pelo menos foi o que vi em Naruto, e agora em Black Bird), onde o glossário fica no fim do mangá. Achei melhor!
Li, li e ainda não enjoei... 'mira':
Amo essa parte!

Palavra final: A Raio já tinha lido BB por um scanlator, sendo que ainda está esperando o volume 13!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Raio comenta: Turma da Mônica Jovem - Parte I

Você, que está boiando neste novo rumo de histórias da Turma da Mônica, ou que começou a ler, mas ainda não está acompanhado: seus problemas acabaram! Criei este novo espaço aqui no blog para comentar todas as revistinhas que vão saindo da turminha jovem do Limoeiro e, para começar com o pé direito preparei uma análise da história destes mangás (é versão mangá, achei fofo)... O post estará vem longuinho, espero que gostem. Ah, minha mãe não gostou muito porque comecei a ler anteontem o primeiro volume e não parei mais. Sumi daqui de casa! Ela ficará mais brava com o tempo que passarei escrevendo aqui, então leiam, viu? Será bom que uma bronca tenha sido levada a pena. Segue a análise:
TMJ - Volume 00: Eu cresci
Esta edição exclusiva para colecionador é a 'sinopse' da história, onde Mônica conta como está vivendo, com quantos anos está, o que mudou com cada personagem e também o que não mudou. Ela, agora esbelta, está mais forte, mais linda e agora não usa apenas uma roupa (eu amava aquele vestidinho vermelho, mas enfim...). Cebolinha, ou melhor, Cebola, está com mais cabelo, vive no computador fazendo mil projetos, querendo assim, dominar o mundo, sem falar que não troca mais os erres por eles... Tá, só quando nervoso. A gulosa Magali agora come comidas mais saudáveis, cuidando bem do corpo, mas de vez em quando tem umas recaídas... Ah, e continua amando gatos. Já o Cascão parece que deu um jeito naquela sua mania de não querer tomar bando... Parece! Agora toma banho de vez em quando. O que não mudou foi seu amor por esportes e... deixa pra lá. rs

TMJ - Volume 01: Eles cresceram!
A edição de lançamento começa contando como se inicia o dia dos quatro protagonistas: Mônica, Cebola, Magali e Cascão. Como nem tudo é um mar de rosas e como todo mangá tem que começar bombando, já neste volume inicia-se uma viagem interdimensional, onde os quatro terão que procurar quatro objetos cósmicos, cada um se encontrando em uma dimensão. Tudo é meio difícil de resumir, mas envolve uma feiticeira, Yuka, que foi libertada por um vilão, Capitão Feio agora Poeira Negra, que quer dominar o mundo. Ela aprisionou os pais da turma (que foram heróis lendários no passado, tendo eles a aprisionado), o Franja (agora assistente do Professor que trabalha no Museu), o Professor e o Ângelo (Anjinho Céuboy). as dimensões pelas quais eles terão que passar são: Mavidele, Tobor, Tchalu e Edom. Esta viagem só acaba na edição 04!

TMJ - Volume 02: A aventura continua
Já em Mavidele, dimensão onde se encontra o Cubo Fantástico, um dos quatro objetos cósmicos, nossos heróis conhecem o primeiro espírito guerreiro (avatar), Bóreas, que lhes entrega o Globo Celeste Dimensional (uma espécie de chave de dimensões que também serve para a comunicação deles com os tais espíritos. Ele também dá algumas instruções e diz que em cada dimensão eles tem o direito a um aconselhamento (pergunte aos universitários). Este mundo é uma espécie de jogo de RPG e, assim que Mônica pergunta ao globo quem eles serão neste mundo, suas roupas se transformam e: Cebola vira um guerreiro Paladino, Magali uma Maga (típico), Cascão um Ladino e Mônica uma Arqueira Elfa (com flechas de coelhinho). O primeiro lugar em que eles vão parar é na Estalagem Unicórnio Gêmeo Saltitante e lá descobrem que precisam encontrar cinco chaves para, assim, poder abrir o baú que guarda o Cubo Fantástico (algo bem RPG, né?). Para fugir da Estalagem, Magali usa uma magia que os leva à um penhasco, depois à uma clareira, onde eles tem que abrir as 3 torres onde, em uma delas, está uma das chaves. Conseguem, lógico. A segunda chave conseguem no Reino dos Gigantes de Pedra, a terceira jogando dados com uma fada sininho, a quarta enfrentando anões e a última arrancam do pescoço do tal Capitão Feio. Abrem o baú, após enfrentar um exército de esqueletos e um dragão, que na realidade era um feiticeiro, ex-namorado da bruxa Yuka. Terminada a tarefa eles partem para o próximo mundo: Tobor!

TMJ - Volume 03: Novos desafios
Já em Tobor, mundo tecnológico que é regido por máquinas, eles têm de juntar as 4 peças para formar a Jóia Genial, que é o 2ª objeto cósmico. Para isso a equipe precisa se dividir: Cascão cuida do fragmento azul, Magali do amarelo, Cebola do verde e Mônica do vermelho. Cada um, para consegui pegar seu fragmento precisa enfrentar um vilão: Cascão x Tombanianos, Magali x Cabeleira Negra, Cebola x Megaspan e Mônica e seu super robô coelho x Krake. Cascão consegue facilmente o seu pedaço, Cebola demora um pouco, Magali consegue com a ajuda do Astronauta (aquele, dos gibis) e, por último, Mônica. Acontece umas coisinhas, como umas charadas, e por fim, com a Jóia Genial, eles partem para outro mundo. Tchalu é a dimensão das lutas marciais e para conseguir o outro objeto eles precisam vencer um torneio de luta. Neste mundo eles conhecem um coelho, Caolho, que foi mestre de seus pais em uma outra época e agora irá treiná-los para a competição e ganhar o Disco de Saturno. Ah, e isso se Yuka permitir.

O post ficou bem grande, então resolvi dividir. Parte II em breve!

domingo, 24 de julho de 2011

xXxHolic ~ Kei - Parte I

A Segunda Temporada de xxxHolic, xxxHolic Kei, para mim não teve nada de melhor e nem de pior que a outra temporada, foi apenas a continuação, com novos personagens e, lógico, com muitas respostas. Comparando as duas temporadas o que posso dizer é que a primeira tem uma música de abertura melhor (eu acho, pelo menos rs). Na primeira também vemos mais casos diferentes que ocorrem com as clientes da Yuuko, coisa que não apareceu na segunda, se bem que nem dava, já que eram apenas 13 episódios para explicar muita coisa. Terminei de assistir ontem e só não comentei no mesmo dia porque estava doente... Estou até com o filme e com os OAD's já salvos no PC, mas começarei a assistir apenas amanhã, quando eu melhorar um pouco. Ah, e tá aí o resuminho:
O primeiro episódio começa com um sonho premonição de Watanuki, em que ele só enxerga pelo olho esquerdo. À caminho da escola ele para no templo de Doumeki para ajudá-lo na limpeza do mesmo (contra sua vontade, claro) e sem querer ele fica preso em uma teia de aranha. Doumeki, para ajudá-lo, destrói a teia. No dia seguinte, saindo do colégio, Doumeki começa a sentir mal e mostra a Watanuki uma espécie de teia o impedindo de abrir seu olho direito. Chegando na loja, Watanuki, desesperado, perguta à Yuuko o que está acontecendo com Doumeki e ela explica que ele foi vítima de um rancor, mais precisamente o de uma aranha. Esse rancor foi para Doumeki por ele ter destruído a teia. Watanuki ao escutar isso sente-se mal, pois foi ele que se embaraçou na teia, sendo assim, pede que Yuuko o diga como fazer a aranha o odiar mais do que a Doumeki, fazendo assim o rancor se voltar contra ele. Na mesma noite Doumeki misteriosamente melhora e no dia seguinte se depara com Watanuki sem o olho direito. É, o Clamp adora desaparecer com os olhos de seus personagens... Fay que o diga. 
Depois de muito blá blá blá Yuuko se nega a ajudar Doumeki. Bem feito, Yuuko é diva! Passa-se um tempinho e a ameça de Watanuki nunca mais rever se olho começa a crescer. No episódio 2 surgem na loja de Yuuko os Karasu-Tengu, pedindo ajuda para salvar Zashiki, que acabou sendo sequestrada quando foi pedir o olho de Watanuki de volta. Yuuko os ajuda em troca do Leque de Tengu. Ela então envia Watanuki, juntamente com Koda-Kitsune, para onde está presa Zashiki. Acontece um climax (assista) e eles acabam descobrindo que quem raptou Zashiki foi a própria Jorougumo, a Rainha Aranha, uma yokai que também está de posse do olho direito de Watanuki. Ele, vendo Zashiki-Warashi sofrendo, oferece seu outro olho em troca da libertação dela, mas seu pedido é negado. Ele então consegue se libertar, com um caco de vidro, das teias que o prendiam, salvando assim Zashiki. Logo depois seu olho é engolido pela yokai... (haha). Acontece umas coisinha e ele acaba, finalmente, na loja. Lá Yuuko o entrega a metade do olho de Doumeki, que ele ofereceu para curar o de Watanuki. Ele então aceita, engole o olho e adormece...
Imagem do OAD!
O episódio 4 também começa com um sonho de Watanuki, em que ele é perseguido por uma nuvem negra e, quando menos espera, nota que estava sendo perseguido por Larg montado em uma berinjela. No outro dia ele conta o sonho para Himawari, e ela faz o mesmo. Ele então a presenteia com Madalenas (bolinhos), dizendo que é um agradecimento por ela ter contado seu sonho a ele. Mais tarde ele vê as Madalenas que havia dado à Himawari sendo comidas por Doumeki (ela deu a ele), em seguida o mesmo conta à Watanuki o seu sonho. Mais tarde, quando Watanuki estava voltando do colégio, ele é perseguindo por um monstro e, quando está prestes a ser devorado acaba sendo salvo por uma flecha atirada pelo avô de Doumeki, que estava montado em um cavalo. Em seguida ele desmaia. Ao acordar encontra com Yuuko e ela explica que tudo que aconteceu com ele não passou de um sonho. Ele se espanta, pois nunca sonhou com aquilo... Yuuko então fala que outra pessoa pode ter sonhado. Ele então se dá conta que comprou o sonho de Himawari e Doumeki, sendo o dela a perseguição pelo Ayakashi e o de Doumeki, seu avô. Yuuko então o leva de volta ao local onde o encontrara desmaiado e conta que a flecha, parte do sonho, pode interessar a alguém. De lá eles vão para outro mundo e ela o apresenta a um comprador/vendedor de sonhos, o Yumekai. O Yumekai quando olha para a flecha logo a quer comprar e, por fim, acaba trocando por cinco balões de sonhos. O comerciante então funde a flecha com um balão, virando assim um 'sonho sagrado'. O garoto dá o primeiro balão ao filho da Raposa de Oden, outros dois são pegues por Yuuko, ficando com ele apenas dois, sendo que na mesma noite ele tem um sonho com o avô de Doumeki, usando assim um destes.
Este post foi divido em dois, então aguardem em breve a continuação.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Boas notícias

Yep meu povo, acabei de conquistar algo muito importante para a minha existência: minha internet voltou! Sim, caros leitores, como eu vinha comentando, minha net estava meio que 'não prestando' e eu já estava pensando em mudar de planeta, ou até de ligar para outro alguém para ver se conseguia os privilégios do século XXI de volta, mas nem precisou, pois ontem veio o tio e deixou tudo de volta à sua normalidade, ou seja, estou com uma internet veloz novamente. Não sei se esta notícia alegrou muita gente, mas estou pulando de felicidade e isso será refletido por aqui também.
Fiquei devendo muitas notícias por aqui devido às minhas saídas e dormidas (sou humana, preciso viver). Este post será para aliviar um pouco a minha carga de peso na consciência... Aproveitem! Comentarei as bombinhas que andavam explodindo esta semana, e olha que foram umas bem razoáveis, já que farão um bom estrago no meu bolso (provavelmente no do meu pai, já que ainda dependo dele rs). Voilà:
Bakuman pela JBC - #medo
Ontem, antes de dormir dei uma passadinha no Grupo Animefan pra deixar um pequeno comentário sobre esta nova aquisição da editora JBC. Leia um trecho:
Um dos mangás que mais estavam sendo aguardados por aqui era, sem dúvidas, Bakuman. O título é forte e pode ser considerado um trunfo da editora (JBC), que pretende lançar mais projetos 'de nome' este ano. O que mais me preocupa é a JBC que, vez ou outra, vem dando muitos desgostos aos leitores. Bakuman está sendo publicado no Japão pela Shonen Jump, é dos mesmos criadores de Death Note (Tsugumi Ohba e Takeshi Obata) e está com uma 2ª temporada vindo por aí. Tudo indica que será um dos títulos do ano (a New POP e a Panini também andam divulgando títulos bem poderosos, vale ressaltar).
Hoje de manhã o Urasam atualizou o post com uma imagem divulgada no Facebook de Marcelo del Greco, editor da JBC. Na imagem podemos perceber que a capa seguirá os mesmos padrões da edição japonesa e que o valor unitário será R$ 10,00. Ah, e confira a imagem:
CLIQUE PARA AMPLIAR!
Atualização! > Pessoal no facebook me fez rir, então tá aí: Não troquem as referências do mangá por referências de Chaves, CDZ ou Pânico na TV, por favor! Ah, não invertam as páginas também. Obrigado!
Ah, e falando em JBC... Este mês foi às bancas a light novel Death Note - Another Note: O caso dos Assassinatos em Los Angeles, que conta a história do passado de L, que está em Los Angeles no encalço de um serial killer, juntamente com Naomi Misora (caso que foi apenas mencionado na obra original). Como a vida não é tão bela assim, o valor cobrado pela novel é bem salgadinho: R$ 29,90 (#medo). Isso lembrando ainda que terá apenas 176 páginas. Oh, God! Capinha:
As coisas estam andando por aqui (Brasil) e a todo instante o mercado de mangás está crescendo... MUITO. Os fãs brasileiros, em especial da Panini, fizeram uma enquete para enviar à mesma com os mangás mais pedidos. Na primeira etapa foram selecionados os 50 primeiros e nessa lista entraram 2 títulos comentados recentemente por mim aqui e aqui: Junjou Romantica e Sekai Ichi Hatsukoi. Fechada a parte de sugestões, começou a etapa de votação e você pode ajudar o levantamento clicando aqui e votando na barra à sua direita.
Se trouxerem Junjou pra cá irei dar gritos, então colabore! Bem, agora estou me despedindo e ao mesmo tempo começando outro post, que ficará em rascunho por hoje. Ah, e até!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

xXxHolic

Ontem, sem nada para fazer, comecei a assistir um dos animes da minha listinha. No começo estava em dúvida entre baixar Kobato, o 1ª episódio de Blood-C ou xxxHolic, mas depois de muito pensar optei pelo último, pois estava há tempos curiosa. Tá que por ser uma obra Clamp eu já esperava algo grande, mas a história me impressionou. Também fiquei boquiaberta pela Yuuko que, até mesmo em Tsubasa, sempre está linda. Cada novo personagem que encontramos em um novo episódio, cada caso curioso que aparece, tudo dá um toque sombrio e mágico ao anime. Ai, estou apaixonada! Esta será a primeira parte de um resuminho, já que pretendo escrever sobre a segunda temporada, sobre o filme e, se eu gostar, sobre os OAD's. Tharã:
A história começa quando Kimihiro Watanuki , um garoto órfão que consegue ver e atrair espíritos, durante um ataque de espíritos, encosta no muro de uma estranha loja e, no mesmo instante, todos os espíritos que o cercavam desapareceram. Não demora muito e ele percebe que o que motivou isso foi a casa à sua frente e, mesmo não querendo, algo o faz entrar no lugar. Dentro da casa ele encontra uma mulher muito estranha chamada Ichihara Yuuko. Ela apresenta o lugar como uma loja que consede desejos e diz que consegue pôr um fim ao seu tormento. Como as coisas nem sempre são tão fáceis ela sempre cobra algo em troca, algo de valor equivalente. Watanuki pede para parar de ver espíritos, em troca passa a trabalhar no local até conseguir o suficiente para pagar a dívida.
 
Neste trabalho de meio período, Watanuki irá conviver com algumas criaturas e pessoas estranhas e logo no começo somos apresentados às gêmeas Marudashi e Morodashi (Maru e Moro) que são criações de Yuuko, sendo assim elas nunca podem sair da loja pois não possuem alma. Também somos apresentados ao "companheiro de bebedeiras" de Yuuko: Larg, ou Mokona Preto (lembrando que o Mokona Branco chama-se Soel), um ser mágico que foi criado pela bruxa juntamente com o mago Clow Reed. A primeira vez que vi um Mokona foi em Magic Knight Rayearth (faz tempo, não?) e posso dizer que sou super apaixonada pelo 'manjuu' branco e, agora que assisti xxxHolic, pelo 'manjuu' preto. Larg tem o poder de ver espíritos e de sugá-los, além de entrar em contato com o outro Mokona.
 
Na escola, Watanuki, mesmo não querendo, passa a se aproximar de Doumeki, por ordem de Yuuki, pois o garoto possui o poder de repelir espíritos. Watanuki é apaixonado por Himawari e esse é o motivo por odiar Doumeki, já que ele é muito próximo da garota.
 
Com o passar dos episódios o protagonista faz mais e mais ligações com outros personagens, sendo um deles Zashiki-Warashi, um lindo espírito feminino que vive em uma montanha sagrada juntamente com os Karasu-Tengu, seus fiéis servos. Os Karasu-Tengu são homenzinhos que voam em pranchas de surf e usam jaqueta e óculos escuros. Eles odeiam Watanuki porque sempre que ele está por perto Zashiki começa a chorar de felicidade. Nem preciso dizer que ela é apaixonada por ele e que, aos poucos os pequeninos Karasu-Tengu passam a o respeitar.
 
Cada cliente da loja tem um problema envolvendo coisas espirituais e, para livrarem-se de algo que os estão atormentando, vão até lá pedir a realização de seus desejos. Uns entram inconscientemente na loja, outros já sabem o que fazer lá. Um episódio que achei bem interessante foi quando o Espírito da Chuva, ou Ame-Warashi, foi até lá fazer um acordo para se salvar uma hortência. Yuuko mandou Watanuki, que foi com Doumeki, realizar o serviço. Como pagamento ela deu à Yuuko uma raposa em tubo (Kudakitsune), que acabou se apegando a Watanuki, sempre o enchendo de beijos. Ah, ia esquecendo: Ame é muito amiga de Zashiki.
 
Outro espisódio que gosto bastante é o 5, onde conhecemos a Raposa de Oden, um ser sobrenatural. A Raposa tem uma barraca de oden, que sempre abre à noite e que só pode ser vista por quem tem poder. Acho que por hoje já falei de mais e, ah... Como esqueci de mencionar alguns personagens compensarei no próximo post que, provavelmente, será sobre xxxHolic.

Aguardo comentários de quem já assistiu o anime ou até mesmo leu o mangá. Até a próxima!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Impressões: Harry Potter 7 - Parte II

É, tudo tem sempre que chegar a esse bendito maldito fim, é uma lei! Com Harry Potter não foi diferente e, nesta sexta, a saga do menino que sobreviveu chegou ao fim. Pode até parecer besteira para muitos, mas para os que acompanham a história do bruxinho desde criança, foi uma perda tremenda. Enfrentamos um 'maió fuzuê' por causa dos cosplayers que lá estavam... (ai esse povo, parece que nunca viram uma alma vestida de Harry na vida). ¬¬"
Tudo começa com Voldemort pegando a varinha na 'tumba' de Alvo Dumbledore, sendo esta também a cena final de HP7 Parte I. Logo no começo era muita gritaria e, ah, haviam uns mal educados que ficavam gritando cada palavra feia quando o pessoal gritava. Achei isso péssimo, pois quando alguém vai para a estréia de um filme tem que ir preparado para isso... Lembrando ainda que é a estréia do ÚLTIMO filme de HP e era lógico que o pessoal ia pra ver, chorar e gritar. Normal.
Os efeitos estavam um primor. Tudo foi perfeito, tudo mesmo! Acho que esta opinião não vale, pois quem está a dando é uma fanática, mas... Estava tudo incrível: as cenas engraçadas, as de ação, as de terror... TUDO. Só achei meio "triste" o beijo entre o Rony e a Hermione. Não é que foi triste, bem, foi algo que não foi o que eu esperava, já que deveria ter sido mais romântico, assim como no livro. Ah, mas foi legal mesmo assim! rs
Outra parte que muitos estavam aguardando eram as memórias de Snape. Ownt, so cute! Ele pequeno brincando com a Lily... chorei nessa parte. Sou boba, deixa! Ah, e minha fotinho:

Fiz careta para aliviar o stress. Não liguem! Bjus :*

terça-feira, 12 de julho de 2011

Saiba mais sobre Aoharaido

O meu mangá do momento é sem dúvidas Aoharaido (Ao Haru Ride). Os traços, a maneira como os acontecimentos estão fluindo, tudo me leva a dizer que à cada capítulo a história está tomando conta do meu coração. Desde que comecei a ler mangá no PC não me deparo com uma história tão linda. É, sem exageros! Decidi comentar um pouco pois estava lendo minhas últimas atualizações e as considerei fraquinhas se comparadas com outras. Fiquei aqui em uma crise existencial, uma coisa tipo: Será que estou REALMENTE agradando meus leitores? Como acabei de ler o capítulo 4 decidi aproveitar meu embalo na leitura para escrever sobre.   
A primeira vez que falei sobre ele foi aqui, em um post sobre mangás. Comentei a estréia do título na Betsuma, coisa que raramente faço, pois a sinopse me chamou a atenção... Desde aí meus olhos se voltaram para este mangá. A história gira em torno de um amor adolescente, que por um mistério é interrompido. No capítulo inicial conhecemos uma garota que gosta de um garoto, porém não tem coragem de tomar uma iniciativa. Isso meio que já virou clichê, todavía a maneira como a história está sendo abordada, com personagens carismáticos, isso me leva a acreditar em maiores horizontes para a série.
A sinopse ajuda um pouco muito na compreensão. Eis: Yoshioka Futaba quer mudar de imagem ao ingressar em um novo colégio. Por ser muito fofa, acabou sendo isolada por sua amigas no colégio, então agora está determinada a ser a garota mais vulgar de todas, para que suas novas amigas não fiquem com ciúmes dela. Antes do primeiro capítulo temos uma espécie de 'extra' (capítulo 0) que nos explica o que foi que aconteceu para cada personagem começar a história da maneira que começou. Yoshioka era apaixonada por Tanaka, seu colega de classe que também gostava dela (viva ao spoiler). Ele marca um encontro com ela, mas no dia não aparece e mais tarde ela fica sabendo que o sujeitinho mudou de colégio. Ela acha que ele não foi devido a um mal-entendido, mas tudo começa a ser explicado quando ela o reencontra no Colegial.
No Fundamental ela meio que foi excluída pelas meninas da turma por ela ser bonitinha, fofa... Sabe, por aquelas invejosas? Exato! Como nossa heroína (vixe, incorporei) não quer ser tratada da mesma forma, ela decidiu recomeçar e agir diferente.
Quando citei o aparecimento de Tanaka, meio que esqueci de comentar que nem Tanaka ele é mais, pois com a separação dos pais seu sobrenome não é mais o mesmo. Ele próprio não é mais o mesmo, sendo agora conhecido como Kou (ou Mabuchi-kun), agora sempre tratando Yoshioka-san com frieza... Esse é o mistério do qual falei no inícil: o que aconteceu para tal mudança nesta criatura?
Como ainda estou no capítulo 4, ainda não posso responder todas as suas perguntas, mas futuramente escreverei mais e mais posts sobre minhas conclusões sobre a série. Ah, e ia esquecendo (sou cabeça de vento)...  Sua autora é Io Sakisaka e o mesmo está sendo traduzindo pelo pessoal do Dimichan. Aqui no blog tem uma página especial para a divulgação do mangá, então clique aqui e baixe (atualizo conforme vai saindo lá). Ah, e para matar minha curiosidade pesquisei o significado do título. Não encontrei algo certeza, mas minha fonte disse o seguinte: o significado de Ao Haru Ride é Passeio da Juventude (Ao Haru significa Juventude, o resto não sei se compreendi bem mas é devido a uma palavra formada pela separação de kanjis #oxii).
Espero ter ajudado aos leitores deste mangá, e se não, fica a dica para os que ainda não conheciam a obra.

Fui...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Um pouco de Alice

Hoje acordei de tão bom humor que decidi escrever o post que escrevia no meu sonho. Fala sééério, até no seu sonho você está escrevendo? Sim! Não gosto muito de falar, então me expresso por meio deste blog (meu sonho é viver escrevendo, trabalhar escrevendo qualquer coisa) e isso não é pra qualquer um. No meu sonho estava eu mostrando algumas das várias adaptações do clássico Alice in Wonderland, de Lewis Carroll, mas como a preguiça toma conta de mim quando acordo decidi apenas comentar as versões animandas que amo. Antes que você me pergunte se sei algo sobre o livro, fique sabendo que li e reli Alice e Através do Espelho (bons tempos esses). Para começar, irei falar sobre um clássico da animação: Alice no País das Maravilhas, de 1951, feito pelos estúdios Disney.
Essa adaptação de Alice contém elementos de Através do Espelho, como os gêmeos Tweedle-Dee e Tweedle-Dum. A primeira vez que o assisti foi no SBT, de noite, a uns anos atrás(bota tempo nisso). Sabendo que foi a primeira vez que vi a história de Alice, é normal meu encanto pelo filme, mas se eu assistir novamente creio que a mesma coisa não irá acontecer. Ah, e só para lembrar que foi neste filme a primeira vez que a garotinha apareceu com este vestido azul.
Não sei se posso contar como adaptação, está mais para homenagem, mas enfim... Muitos animes sempre tem um episódio que faz referências ao mundo mágico de Alice e, claro, Sakura Card Captor não seria exceção. Ao assistir Sakura você logo pensa em Alice... ficando enorme, encolhendo. Na 3ª temporada, em Sakura in Wonderland, ela entra no livro e começa a viver um pesadelo, onde Yukito é o Coelho Branco, Touya é o Chapeleiro Maluco, Eriol é o Gato e, o mais fofo, Syaoran como Tweedle-Dee e Tweedle-Dum (kawaii)... Este é, sem dúvidas, um dos meus episódios favoritos!
Outro anime que não pode deixar de estar aqui é Ouran. No episódio 13 vemos a protagonista passar pelos mesmos, ou piores, apertos que Alice passa no livro. No sonho ela volta a ter o cabelo comprido, além de ser o mais bizarro o fato do Gato ser Hikaru e Kaoru... ninguém merece! O Chapeleiro é Tamaki e a Lagarta, Kyoya. Ah, e para encolher basta comer banana!

O post ficou pequeno, mas bem explicativo. Bye!

domingo, 10 de julho de 2011

Novo capítulo de Clannad

Mais um post para vocês! Bem, quase que não escrevo hoje devido a algumas coisinhas, tais como internet ruim péssima, mas como a vida é bela e minha determinação é mais ainda hoje estou aqui para escrever besteiras e postar mais um capítulo de Clannad (pois é, nunca me esqueci, tá?). Para começar os 'babados', venho aqui informar que estarei na estréia do último Harry Potter e que não estou bem com o fim... É difícil amar algo e saber que este algo está com os dias contados. Sim, mas fã que é fã sabe que HP sempre viverá em nossos corações...
Outras coisas bem legais que estou esperando é o filme de FMA e os jogo para DS de Bakuman. Sério, dá até calafrio só de pensar no filme... Quando baixei The Conqueror of Shamballa foi muita empolgação (coisa que ao assistir o filme se esvaiu, tenho que admitir), imagina o último filme (é o que dizem, mas não acredito). Sobre o jogo de Bakuman estou apenas curiosa para ver como é... Só comprarei se for bom e se o encontrar na feira da Parangaba (vou ter que esperar... rs). Falando de Bakuman, ontem assisti de novo o episódio 17 (*-*) e me veio a vontade de assistir a 2ª temporada que, se não me engano, estreará em outubro deste ano. Estou com saudades de tantos animes... Muitos desses tiveram um fim com gostinho de continuação, o que ao meu ver deveria ser uma pista para uma nova temporada. Gente, é sério, até hoje tenho esperanças da de Kimi ni Todoke. Espero estar certa!
Nesses dias fiquei pensando em muitas coisas, vendo meus animes clássicos (morria de saudades), escutando minhas trilhas sonoras (tenho até um vinil antiguérrimo com da trilha sonora de Dirty Dancing) e dormindo constantemente. Está bem que minha mãe reclama um pouco, mas ela mesma sabe que estou tendo férias mais que merecidas, já que não tive minhas férias de janeiro (uni escola e cursinho sem pausa, meus senhores). Neste exato momento estou escutando a trilha sonora de KareKano... Dattanjinyou é a melhor, é destaque do último episódio e tem aquela coisa que te acalma (the best, the best)!

Ah, e chega de blá blá blá... Está aqui o 3ª capítulo de Clannad. Eu meio que demorei a postar por causa dele, então o culpem! Clique no banner a seguir para fazer o download:


Espero que gostem! Bjus...

segunda-feira, 4 de julho de 2011

AnoHana - Um pouco sobre a base secreta

Sabe quando uma lágrima escorre pelo seu rosto? É, minhas bochechas ainda estão úmidas em decorrência deste 'chororô' devido ao último episódio de Ano Hi Mita no Hana no Namae o Bokutachi wa Mada Shiranai (Nós ainda não sabemos o nome da flor que vimos naquele dia), ou AnoHana, para os que não conseguem se recordar um título tão grande íntimos. Faz um tempinho que venho acompanhando este anime, isso quem me segue no twitter já deve saber, e a cada fim de episódio me sentia comovida. Hoje irei comentar sobre este anime que entrou definitivamente para a minha listinha de preferidos e amados. CUIDADO, aqui você poderá encontrar SPOILERS.
"Nós ainda não sabemos o nome da flor que vimos naquele dia."
O enredo pode ser simplesmente resumido pela belíssima música de encerramento do anime,'Secret Base': "Eu nunca vou esquecer as esperanças e sonhos que dividimos no final daquele verão. Eu tenho certeza que nos encontraremos de novo em outro agosto ou talvez em dez anos. Porque aquelas foram minhas melhores memórias (...) Os fogos de artificio explodiam excessivamente bonitos pelo céu a noite, e o tempo passou tão suavemente quanto o vento. Nós dividimos tantos momentos felizes e aventuras emocionantes, juntos em nossa base secreta."
Sabe aquele grupo de amigos que com os quais você se reunia quando era pequeno, aqueles que sempre iam te visitar quando você estava doente, chegavam mais cedo na sua casa só para falar com sua mãe e dar um susto em você? Pois bem, AnoHana trata das recordações de infância de cinco jovens, que com o tempo se distanciaram e alguns passaram a se odiar. Aí você, super inteligente, me pergunta: "Raio, na foto acima vejo seis. Você não contou errado, não?" Não meu caro Watson, não houve equívoco algum. O que fez esses jovens tomarem rumos diferentes foi um forte trauma que envolveu a morte de uma amada amiga, Menma, em, o que era pra ser, uma simples tarde na base secreta. Confira o 1ª episódio online:
A história começa com Jintan, o ex-líder dos Super Protetores da Paz (grupo que participava juntamente com seus amigos de infância), sendo importunado pelo espírito de Menma, o que ele acredita ser uma fera do verão, a qual somente ele pode ver. O garoto vive preso em casa, sem sair para nada, nem mesmo para ir ao colégio. No primeiro momento ele próprio pensa que aquela garota com a aparência de sua falecida colega, pela qual era apaixonado, é uma ilusão. Já no primeiro episódio Jintan abandona Menma e, ao voltar a sua casa, lembra de tudo que ocorreu naquele verão.
Analu, Poppo, Yukiatsu e Tsuruko também vivem com a culpa do ocorrido, claro que cada um demonstrando de sua maneira. Menma retornou para ter seu desejo realizado, mas ela consegue algo muito além: livrar seus amigos da culpa do passado, cada um podendo seguir seu rumo e tornarem-se adultos. Esse tipo de história não nos é uma novidade, mas a forma como ela nos foi passada e as características únicas de cada personagem fez desta animação o destaque desta temporada.

Esse foi um rápido resuminho. O que acharam? Gostaria de anunciar com ele o meu retorno. Comentem!
Bjus!