sábado, 30 de junho de 2012

The Legend Of Korra - E a primeira temporada chega ao fim!

Se minhas férias começaram? Não sei dizer. Acho que sim! Bem, por enquanto estou aguardando o resultado de duas disciplinas, mas acho que não fui tão ruim nelas a ponto de me ferrar. Qualquer coisa, pelo menos para vocês, já estou de férias. Tá, e qual é a parte boa nisso tudo? A parte boa é que euzinha aqui colocarei o blog em dias, começando por esse post. Nesse mês de julho teremos muitas coisas legais, desde posts comentando filmes, até posts comentando minhas espinhas. Para marcar essa etapa inicial, que tal falar sobre uma das animações que mais curti nesse período em que estive off? Korra, meus caros, Korra! Sim, para quem ainda estava na dúvida, eu estava viciando durante todo esse tempo nessa nova animação da Nickelodeon. SIM!
The Legend of Korra, ou melhor, Avatar: A Lenda de Korra, é, sem dúvidas, um dos trabalhos mais bem feitos do ano, pelo menos no quesito animação. Para quem, como eu, já estava morrendo de saudades das aventuras do menino Aang, a Nick resolveu nos presentear com essa nova história que, ao menos tecnicamente, aparenta ser tão gigantesca quanto à sua antecessora, já que, afinal de contas, Avatar é Avatar (não, não me refiro ao filme do James Cameron, please). Dessa vez a história se passa 70 anos após Avatar: A Lenda de Aang, e tem como protagonista a jovem rebelde Korra, da tribo da água, sucessora de Aang que, após seu treinamento, vai para Republic City (capital da República das Nações Unidas, fundada por Aang e o Senhor do Fogo, Zuko), mesmo desobedecendo ordens, para treinar dobra de ar com Tenzin, um dos filhos de Aang e Katara. Os primeiros episódios começam com um prólogo narrado por Tenzin contando resumidamente a aventura de Aang e seus amigos, que acabaram com a guerra dos cem anos e fundaram uma nova nação, onde dobradores e não-dobradores podem viver pacificamente.
Como em uma boa temporada de Avatar, o mesmo tem que lutar contra seu lado interior e, principalmente, contra algum antagonista que pretende acabar com a união entre as nações. The Legend of Korra começa direto no ponto! Dessa vez o inimigo a ser vencido não é a Nação do Fogo, e muito menos o Senhor do Fogo. Dessa vez o inimigo possui uma máscara, prega a igualdade entre não-dobradores e dobradores, perseguindo os dobradores, chegando ao ponto de até tirar suas dobras, o que faz Korra entrar em pane à princípio, mas nada que a impeça de, no decorrer da trama, mostrar sua coragem e audácia. Korra, juntamente com seus mais novos amigos, lutará para restaurar o equilíbrio em Republic City. Ah, o nome do antagonista revoltadinho é Amon.
Vocês devem estar se perguntando onde entra a pegação, que é tão característica da franquia. Antes disso, que tal dar nome aos bois? Nessa temporada de Avatar nos deparamos com o mesmo universo, porém sem nossos queridos protagonistas, como Sokka e Toph, sendo que do grupo só quem está viva é Katara, viúva de Aang e maior curandeira do mundo. Como Korra é jovem, logicamente seus novos amigos são teen. É aí que somos apresentados à Bolin e Mako, dois irmãos (?), um dobrador de terra e outro dobrador de fogo. Juntos, mais Korra, que por ironia do destino se une à equipe, eles formam os Furões de Fogo, uma das equipes que disputam na arena de Pró-dobra (um esporte de dobradores bem popular). Bem, continuando, é conhecendo esses dois, em especial Mako, que Korra começa a sentir borboletas na barriga. Nossa Avatar se apaixona completamente por Mako, Mako começa a demonstrar sentimentos por Korra... Até que Mako esbarra em Asami, uma patricinha filha de um bilionário, com a qual começa a namorar e se iludir (fiquei com nojo dessa prostituição). Logicamente, Korra não deixa por menos e vai atrás do que é seu, beijando o dobrador de fogo no maior estilo Aang. Tá, é rejeitada à priori, mas logo o jogo começa a virar e Mako percebe que sem Korra ele não consegue viver... (música, maestro).
Logicamente não contarei mais sobre a história, já que quero apenas incitá-los a assisti-la, mas posso completar tudo o que disse com a seguinte informação: as aventuras de Korra ainda estão longe de acabar. Como já era provável, a nova série será dividida em livros, como a anterior. Essa primeira temporada foi o livro Ar, a próxima será outro e assim sucessivamente. Infelizmente, o que é bom pode demorar, já que a segunda temporada, que já foi confirmada e terá 14 episódios, tem data de lançamento desconhecida, porém consta que será em menos de 2 anos. SIM, 2 ANOS! Em dois anos nem sei como estarei, nem onde estarei, mas provavelmente estarei na frente do PC assistindo The Legend of Korra. Ah, e só para complementar: a ComicCon (aquele evento mágico que acontece todo ano em San Diego) deste ano contará com um painel só para The Legend of Korra, onde os criadores e toda a equipe se reunirão, no dia 13 de julho, para tirar dúvidas e, quem sabe, já anunciar uma data concreta para a segunda temporada (é, não custa sonhar). Ah, a segunda temporada já está a todo vapor!
Se acompanharei a ComicCon e trarei meu filtro para vocês? Sim. Como o evento cairá em julho, farei o possível para montar um post super bacana para vocês, afinal, depois de tanto tempo off tenho que recompensá-los de alguma maneira pelo tempo em espera.

Beijos e até!

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Heartstrings

Oi. É, já sei que devido ao meu desaparecimento vocês já estavam pensando no meu velório, não é mesmo? Sério, peço mil desculpas a todos vocês que me acompanham. Ultimamente não tenho postado devido ao fim do semestre na faculdade. Pra quem não sabe, em todo final de semestre ocorre tudo o que é tipo de coisa: entrega de resenhas, seminários e provas... Ah, e vai ter uma viagem daqui a alguns dias (posso até fazer um post sobre, que acham?). Bem, é por isso que não estou fazendo nada além de comer, dormir, fazer meus afazeres, tomar banho e... Assistir k-dramas. Sim, estou cada vez mais apaixonada!
K-drama, para quem não sabe, é uma espécie de novela coreana. O legal do k-drama é que não consigo entender quase nada. Tipo, quando assisto animes consigo associar palavras às legendas e já consigo até assistir alguns diálogos e entender (muitos animes dá nisso), mas coreano é uma coisa nova para mim, e confesso que tudo é muito maravilhoso. Bem, vocês devem estar se perguntando como comecei a assistir k-drama.Tudo isso começou quando fui visitar um certo amigo (rechonchudo e fofinho... lindo) é acho que ele lê meu blog e conheci uma amiga dele que é viciada em tudo o que é Made in Korea. Após conversar com ela, resolvi tentar assistir algum k-drama, e gostei. O primeiro foi You're Beautiful, mas não comentarei sobre ele hoje, já que dedicarei esse post à Heartstrings, o segundo k-drama que assisti e que decididamente AMEI!
Lá vai: motivos? Jung YongHwa. Pronto. Ah, mas não é o suficiente? Park Shin Hye. Como já disse, comecei meu mundo k-drama com You're Beautiful, passando cada cena me perguntando o porque da Go Mi Nyo (a protagonista vivida por Shin Hye) preferir o estúpido magrelo Hwang Tae Kyung, do que Kang Shin Woo, o fofo que sempre a ajudava e que a amava em silêncio (interpretado por YongHwa). Quando terminei fui buscar imagens no tumblr e reparei que havia um outro drama em que eles contracenam juntos, só que dessa vez o romance deles não é algo proibido. Pronto, xeque-mate!
A história gira em torno das preparações de um espetáculo que será realizado em comemoração do centenário de uma faculdade de música. Bom, pelo menos é isso no geral. O que posso dizer é que o drama é cercado daquele clima meloso de romance adolescente. Sim, aquele, onde temos o protagonista líder de uma banda, super popular entre as garotas, e que além de tudo começa a história apaixonado pela belíssima professora de dança da faculdade. Já por outro lado também existe aquela garota fofa de coração mole que acaba se apaixonando por esse aluno popular, porém (à priori) não tendo seus sentimentos correspondidos, passando assim a desistir da ideia de um futuro relacionamento com o mesmo, já que só o que está ganhando com isso é bastante sofrimento. O garoto, após um baque (seu pai morre e é rejeitado pela professora), começa a notar a jovem protagonista, pedindo para que ela não desista de seus sentimentos. E é nesse blá blá blá, digno de Malhação, que a história realmente se desenrola. Se gostei? Claro, por traz desse meu gosto por sangue e vitamina de goiaba se esconde uma lolita cute que ama tudo relacionado com relacionamentos felizes. Sou romântica... Ou pelo menos acho!
Os dois, Jung YongHwa Park Shin Hye, como o casal protagonista são realmente muito bons. Realmente há uma química entre eles (notei isso desde You're Beautiful). Lógico que o sucesso do drama não deve-se apenas a eles, muito pelo contrário. O elenco é brilhante como um todo, mas gostaria de destacar Kang Min Hyuk, intérprete do fofo Yeo Joon Hee. Sério, ele sempre rouba as cenas em que aparece. Outra coisa "fofa" é o avô da protagonista haha!
A trilha sonora também é um dos destaques. Bem, isso se deve em parte às músicas da banda CN Blue, que estão incluídas na trilha e que são interpretadas por YongHwa, que vive o protagonista, além de ser vocalista da banda na vida real. Outro integrante é Min Hyuk. Após escutar algumas músicas da mesma já posso dizer que sou fã, MESMO. Só para que viciem comigo:
Que acharam? Eu particularmente considero essa uma das músicas hiper da banda (não, ela não aparece no drama). Então, o que tenho para acrescentar é que, fora meu pavor pela magreza exagerada da atriz Woo Ri (sério, fiquei arrepiada), o drama foi por mim bem recebido. Sim, há muitos clichês, mas o que é a vida senão uma junção de clichês, não é? Outra decepção que tive foi com o não melhor trabalho em cima do personagem  Hyun Ki Young. Ele começou com um ar tão rebelde que quase fiquei crente que ele seria o rival que disputaria o coração da protagonista (eu e minhas ilusões). Sim, Raio, mas você me recomenda o drama, ou não? Lógico, recomendo, tanto que até gastei meu precioso tempo comentando esta "novela caricata". Além de possuir personagens cativantes, trilhas sonoras viciantes, a trama é bem construída, fazendo até os coadjuvantes brilharem. Até os "vilões" tem seu lado bom, e confesso que é esse um dos aspectos que mais valorizo em novelas/seriados, já que na vida real ninguém é tão ruim.
Bom, é isso. Gostaria de, para concluir, agradecer à todos que me enviaram email's. Sim, ainda pretendo postá-los aqui, só que depois de concluir as coisas da faculdade. Após tudo terminado, podem ter certeza, voltarei à ativa, lembrando que aqui no meu PC tenho o segundo capítulo de 'O Caso de Yoshino Chiaki' quase completo (estou sem tempo mesmo, estão vendo?). Pretendo voltar com No.6 nas férias, e com os demais títulos. Bom, então é isso! Cuidem-se, lembrando de sempre andarem com uma toalha no ombro, uma varinha no bolso e uma lanterna na mão.

Férias, cheguem logo!