sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Hana Yori Dango

Hello! Como podem ver, resolvi deixar minha preguiça um pouco de lado e postar com mais frequência aqui no blog. O post de hoje é sobre uma história que terminei de acompanhar há dois anos atrás e só hoje veio em minha mente que poderia se tornar um post bem interessante para quem está buscando uma indicação ou apenas pra quem deseja ler algumas curiosidades sobre o mangá shoujo Hana Yori Dango.
O mangá de Hanadan, para quem não sabe, disputa com Nana o título de mangá shoujo mais vendido no Japão e, sem dúvidas, é um dos mangás que mais ganhou adaptações em live action. Nesse post me proponho a tratar sobre a história de Hana Yori Dango, o que inclui o mangá e o anime, além de indicar alguns doramas baseados na história. C'mon...
A história de Hana Yori Dango se passa no colégio Eitoku Gakuen, uma instituição destinada à formação de jovens ricos. Sendo mais precisa, é um colégio para os filhos das famílias mais ricas do Japão. Dentre os jovens que lá estudam, um grupo se destaca: o F4 (Flowers Four, ou as Quatro Flores), grupo formado por quatro rapazes, os herdeiros das famílias mais poderosas do Japão e, consequentemente, os rapazes mais ricos do colégio. Os quatro, Tsukasa Doumyouji, Rui Hanazawa, Soujirou Nishikado e Akira Mimasaka, formam uma espécie de "clube do bolinha" que manda e desmanda na escola.
Tsukushi Makino, por outro lado, é uma garota pobre que estuda na Eitoku pelo simples fato de seus pais quererem que ela se case com algum milionário. Tsukushi, ao contrário de seus pais, apenas quer que os anos na escola passem cada dia mais rápido, por isso se camufla entre os outros alunos, buscando a tranquilidade. A história de Hana Yori Dango começa quando Tsukushi, ao ver sua amiga sem querer derrubar o líder do grupo, o intimidante Tsukasa, enfrenta a autoridade do F4, o que significa enfrentar todo o colégio. Em suma, Tsukasa tratará de transformar sua vida em um inferno.
Estamos tratando de um shoujo, o que nos faz presumir os possíveis caminhos que a história tomará. Tsukushi, como uma heroína que se preze, enfrentará todos os obstáculos que serão erguidos no decorrer de sua trajetória, porém contará com a ajuda de algum membro do F4, o que indica seu relacionamento amoroso com algum dos quatro.
Vou adiantar algumas coisas que ficam previsíveis logo no primeiro capítulo, o que não trataria como spoiler, porém, se tiver curiosidade em ver por si só, aconselho que pare de ler agora e corra pra baixar os episódios do anime. Para deixar o texto bem mais interessante, resolvi dividi-lo em alguns tópicos referentes a cada um dos personagens centrais.

Tsukushi Makino
A palavra "tsukushi" significa erva-daninha em japonês, ou seja, a protagonista é como uma planta que está em um lugar onde a consideram indesejável. De personalidade forte, orgulhosa, passa por vários apertos ao receber um cartão vermelho do F4, sendo, a partir de então, perseguida por toda escola. Para mostrar o quão forte a personagem é, a mangaká a fez passar por maus bocados como, por exemplo, ser arrastada por um carro. Tsukushi sofre, mas acaba sendo responsável por uma grande mudança comportamental dos membros do F4. Não sei se posso incluir o Soujirou e o Akira, mas Tsukasa e Rui mudam ao longo da história. Tsukushi também muda, pois acaba percebendo que enfrentar seus problemas é melhor do que ficar esperando o tempo passar mais rápido.

Tsukasa Doumyouji
Tsukasa é ao mesmo tempo o vilão e o mocinho da história. Por seu comportamento agressivo, se envolve em várias brigas, algumas bem sérias que são abafadas pelo poder financeiro de sua família. Desde criança a figura paterna e materna se mostrou cada vez mais ausente em sua vida, fato que só não é tão grave devido à companhia de sua irmã mais velha. Podemos tentar entender um pouco seus atos violentos como uma carência por afeto, carência elevada ao máximo após o casamento de sua irmã. Seus primeiros encontros com Tsukushi, à princípio tensos, aos poucos, suprirão essa lacuna deixada por sua irmã, até então a única pessoa que o "colocava nos eixos". Interessante pensar como o amor pode nascer de algumas discussões e pontapés.

Rui Hanazawa
Provavelmente seria o grande amor de Makino, e por alguns instantes o foi. Rui é de longe um galã idealizado, porém é um jovem desligado, que não se interessa por nada ao seu redor, além de sofrer por seu amor de infância não correspondido. O jovem de "olhinhos de bola de gude" e cabelos dourados, é no início, frio e quieto, porém sua convivência diária com Tsukushi vai mudando um pouco os seus sentimentos e o seu humor: ele passa a sorrir mais e a se preocupar com Tsukushi.
Yoko Kamio, a mangaká, à priori, dá a entender a existência de um provável relacionamento entre os dois, mas devido à preferência dos leitores por Tsukasa, acabou cedendo.

Amo a ida e vinda dos casais em Hana Yori Dango, e devo salientar que, ao contrário do acontece em Ao Haru Ride ou Peach Girl, a história não fica cansativa, ganhando um desenvolvimento cada vez mais emocionante. Fora os três, a mangaká dedicou alguns arcos à outros personagens, por exemplo o arco onde conta o rompimento entre Soujirou e uma amiga que era apaixonada por ele. Em Hana Yori Dango o entra e sai de personagens é constante, mas o triângulo amoroso permanece até o final.
Hana Yori Dango, se não for o mais, é um dos mangás mais adaptados para séries e filmes, o que pode ser justificado devido ao seu enredo leve, carismático e empolgante. É envolvente como uma novela, por isso que a preferência em adaptar a história. Vejamos, Hanadan possui muitos e muitos live actions, mas, como só posso falar do que já assisti, recomendo a versão sul-coreana (Boys Over Flowers) e a japonesa (Hana Yori Dango), sendo que essa última é, sem sombra de dúvidas, a mais aclamada entre os fãs.
Enfim, espero que tenham gostado desse texto, que foi escrito mais com a pretensão de indicação mesmo, pois acho que muitos de meus leitores ainda não conhecem essa obra. Espero que tenha agradado a todos.

Até a próxima. 

Nenhum comentário: